No presídio de Sena, Projeto “Abençoar” já conta com 80 reeducandos

0
351

Por Edinaldo Gomes

Pelo menos 80 reeducandos que se encontram cumprindo penas na Unidade prisional Evaristo de Moraes, em Sena Madureira, tomaram uma decisão que reflete uma mudança em suas vidas da ‘água pro vinho’. Através do Projeto “abençoar”, eles resolveram se desligar das facções criminosas para aceitar a Jesus e, dessa forma, serem inseridos no chamado “bloco da bênção”.

Deflagrado em 02 de agosto de 2019, o projeto é administrado pela Vara Criminal da Comarca de Sena Madureira, representada pelo juiz Fábio Farias, e pela Unidade Penitenciária Evaristo de Moraes. Sena Madureira figura como o primeiro município do Acre a contar com tal iniciativa.

Em seus primórdios, o “abençoar” contava somente com 10 apenados, entretanto, mediante sua eficácia foi se expandindo. São 80 participantes atualmente. Desse total, 6 progrediram de regime.

De acordo com o juiz Fábio Farias, o projeto foi implementado no presídio de Sena diante do aumento expressivo da população carcerária. “Em 2015, o presídio de Sena contava com 145 reeducandos. Já em 2019, esse número saltou para 420. Então, a idéia foi estancar alguns problemas que vinham se alastrando, dentre os quais: A expansão das facções criminosas”, frisou.

Além disso, ele enfatiza que outra meta traçada se refere à ressocialização. “Os reeducandos que aderem ao projeto são retirados de suas salas de origem e vão para o bloco da bênção, onde não há a segregação dos mesmos por conta de facções, nem de bairro. Todos ficam na mesma cela. Eles tem a oportunidade de trabalhar, visto que, há vários projetos em execução. Os produtos que são confeccionados por eles são vendidos posteriormente. Parte desse dinheiro vai para suas famílias, parte para o presídio ajudar a manter os projeto e outra fatia para os próprios reeducandos”, acrescentou.

A meta para este ano de 2021, segundo Fábio Farias, é dobrar o número de participantes. “Intencionamos chegar a 160 reeducandos até o final deste ano. Pretendemos também implantar novos projetos para inserí-los como, por exemplo, a criação de peixes em tanques, notadamente tilápia e tambaqui. Os reeducandos que anseiam uma segunda chance as portas do Projeto estão abertas”, finalizou.

 

É oportuno lembrar que a Vara Criminal de Sena Madureira participa também com a liberação de verbas, oriundas de prestações pecuniárias. É com esse dinheiro que os materiais são comprados para que projetos sejam colocados em prática. Dentre eles estão: Horta, Granja, Marcenaria, Lava Jato, Mini-fábrica de churrasqueiras, roçadeiras, oficina de bicicletas, beneficiamento de castanha e panificação.

Um Bloco da citada unidade também foi reformado com o emprego de verbas de prestações pecuniárias, ofertando melhores condições higiênicas para os novos convertidos.

Outra vertente da iniciativa é o trabalho religioso com ênfase para a pregação da palavra de Deus, algo que tem sido determinante para a mudança comportamental dos presos. “Graças a Deus, muitos estão sendo alcançados e quando há esse tipo de mudança, a sociedade também ganha. Agradecemos ao juiz Fábio Farias e a Direção do presídio por essa oportunidade”, destacou o Pastor Júnior Braga, da Igreja evangélica É tempo de vencer.

Francisco de Assis é o atual Diretor do presídio de Sena Madureira. Segundo ele, há todo um acompanhamento daqueles que hoje estão no bloco da bênção. “Realizamos o trabalho nesse sentido porque há regras para que os mesmos permanecem no Projeto. Graças a Deus, até hoje ninguém desistiu. Isso é gratificante. A gente ouve muitos depoimentos emocionantes dos familiares desses reeducandos que abandonaram as facções. Queremos fazer referência ao juiz Fábio Farias, da Vara Criminal, pelo total apoio. Também aos pastores e demais parceiros. Essa é uma vitória da coletividade”, mencionou.

As sementes plantadas através do projeto “abençoar” já estão rendendo bons frutos que se traduzem nos seguintes números:

Redução de processos administrativos e disciplinares: 76,78%

Reincidência em práticas ilícitas: 0%

Rebelião: 0%

Desistência do Projeto: 0%

Na enchente do Rio Iaco registrada em 2021, em Sena, – uma das maiores dos últimos 24 anos, uma equipe de reeducandos integrantes do Projeto foi formada para ajudar na remoção das famílias.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui