25 maio 2024

Em Tarauacá, mãe de 8 filhos se forma no Ensino Médio aos 55 anos e sonha em fazer graduação

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Da casa simples em Tarauacá, no interior do Acre, Tereza Izídio do Carmo completou sua formação do ensino médio aos 55 anos na Escola Estadual João Ribeiro. Ela conta que não teve oportunidade de estudar na infância, pois era de família muito humilde. Mesmo assim, manteve o sonho. Mãe de 8 filhos e desempregada, assim como o marido, luta por um futuro melhor.

“Na infância não estudei porque meus pais não tiveram condições de me colocar na escola. Tinha muita vontade. Eu tenho 55 anos, comecei aos 46 anos. Era o meu sonho, eu não queria desistir da escola. Não tenho emprego, vivo do meu Bolsa Família, aqui onde eu moro não tem energia na rua, só tem nas casas”, ressalta.

E além do cenário descrito por Terezinha, como é conhecida, outra dificuldade surgiu em sua trajetória: a pandemia de Covid-19. Em 2020, as aulas foram interrompidas e ela se mudou junto com a família para a zona rural do município.

“Durante o tempo que eu estive na escola, depois de 3 escolas, fiz uma prova e passei pro ensino médio. Fiz o ensino médio, mas no módulo 3 foi preciso eu ir pra uma colônia devido à pandemia. As aulas tinham parado, e depois quando voltou, consegui terminar o ensino médio”, conta.
Tereza se formou, mas já tem o próximo sonho: fazer faculdade. Na escola, se interessou mais pelas disciplinas de ciências humanas, como sociologia, história e filosofia. A única matéria que ela teve dificuldades, ela conta, foi no idioma espanhol. Para a vida acadêmica, ela sonha com o curso de administração, e se prepara para o novo objetivo.

“Eu tenho um novo sonho, que é fazer uma faculdade de administração. Quando eu terminei o ensino médio, pelo meu gosto, já tinha entrado na faculdade, mas as condições não estavam dando. Eu quero fazer logo pois é muito tempo, dizem que é 4 anos”, explica.

Além de criarem os oito filhos, ela e o esposo cuidam agora de um neto, a quem Tereza incentiva nos estudos. Ela também recebeu apoio da família na conquista da formação no ensino médio, e sente falta da convivência com os colegas.

“Entre todos os filhos que eu tive, tive 8. Só que agora está eu, meu esposo e um neto que eu criei. Meu neto está estudando também, vai pro sétimo ano. Meu marido me incentivava , tudo foi ótimo, professores, colegas, me deixaram com muita saudade”, finaliza.

 

Via G1

Veja Mais