18 julho 2024

Marinha da Colômbia intercepta narcossubmarino com três toneladas de cocaína de alta pureza avaliada em R$882 milhões

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Na última quinta-feira, a Marinha colombiana anunciou a apreensão de cerca de três toneladas de cocaína de alto teor de pureza em um narcossubmarino no oceano Pacífico. O valor do carregamento foi estimado em impressionantes US$ 170 milhões, equivalente a R$ 882 milhões. A droga estava armazenada em 185 recipientes a bordo do semissubmersível de 20 metros de comprimento.

A embarcação levava quatro homens, todos presos e entregues à disposição da Procuradoria-Geral da República em Tumaco, no departamento de Nãrino. Os testes laboratoriais confirmaram que o material apreendido dentro do narcossubmarino era, de fato, cocaína.

A Marinha relatou que os 3.201 kg de cocaína poderiam ser distribuídos em mais de oito milhões de doses. A apreensão é parte de um esforço contínuo, com 19 semisubmersíveis capturados pelas autoridades colombianas apenas em 2023.

Esta ação segue a interceptação, em maio deste ano, do maior narcossubmarino da história da Colômbia, com 30 metros de comprimento e três metros de largura, transportando aproximadamente três toneladas de droga. O semissubmersível foi detido enquanto se dirigia para a América Central, uma rota comumente utilizada para o tráfico ilegal em direção aos Estados Unidos, o principal consumidor mundial de cocaína colombiana.

Os tripulantes detidos, de nacionalidade colombiana, alegaram terem sido coagidos por uma organização do narcotráfico a transportar a cocaína até a América Central. Esta apreensão representou um prejuízo de aproximadamente US$ 103 milhões (R$ 507 milhões) para a organização criminosa. A Colômbia, maior produtora de cocaína do mundo, enfrenta desafios persistentes no combate ao narcotráfico, apesar de décadas de esforços.

Veja Mais