21 julho 2024

Fernando Diniz é demitido e está fora do Fluminense

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Fernando Diniz não é mais o treinador do Fluminense. Após a derrota para o Flamengo, neste domingo, no Maracanã, que manteve o clube na lanterna do Brasileirão, e uma longa reunião nesta segunda-feira, a diretoria tricolor decidiu decretar o fim da passagem do comandante nas Laranjeiras.

Demitido, Diniz vai receber do clube multa rescisória entre R$ 6 milhões e R$ 7 milhões. O auxiliar Marcão vai comandar o Tricolor na partida contra o Vitória, na quinta-feira.

— Diniz deixa como legado desta sua passagem não somente alguns dos títulos mais importantes da história de nosso clube, conquistados em 2023 e 2024, mas também o legado de um trabalho muito bem-sucedido em sua primeira etapa de sua atual passagem, ensinamentos importantes sobre sua maneira de entender o futebol e uma visão humanística que no todo trazem enorme contribuição a este esporte — afirmou o clube em nota.

Contestado pela torcida nas últimas semanas, Fernando Diniz admitiu no domingo que houve relaxamento da equipe depois dos títulos da Libertadores e da Recopa. Quatro dias antes, após a derrota para o Cruzeiro, ele havia afirmado que seu time foi “muito leniente” após as conquistas.

Fluminense venceu apenas um dos 11 jogos que disputou no Brasileirão até agora. Foram três empates e sete derrotas. É o pior início tricolor na história dos pontos corridos. No dia 22 de maio, a diretoria tricolor havia renovado o contrato de Diniz até dezembro de 2025.

Fernando Diniz retornou ao Fluminense em abril de 2022, mas viveu seu melhor momento em 2023, quando conquistou o Carioca e o título inédito da Libertadores. Nesta temporada, também levantou a taça da Recopa Sul-Americana, com vitória sobre a LDU.
O treinador encerra a sua segunda passagem sendo o mais longevo do Fluminense no século 21. No último dia 21 de junho, ele chegou a 783 dias no cargo e superou Abel Braga, então primeiro colocado, que comandou o Tricolor de junho de 2011 a 29 de julho de 2013. Na primeira passagem de Diniz, ele ficou nas Laranjeiras de dezembro de 2018 a agosto de 2019.

Durante esta passagem pelo Fluminense, Fernando Diniz chegou a ser eleito o melhor técnico da América do Sul pelo jornal uruguaio “El País”, na tradicional votação de “Rei da América”. Ele desbancou nomes como Abel Ferreira, (Palmeiras), Lionel Scaloni (seleção da Argentina), Luis Zubeldía (ex-LDU e atualmente no São Paulo) e Marcelo Bielsa (seleção do Uruguai).

Diniz também chegou a comandar simultaneamente a seleção brasileira neste período, mas sem o mesmo sucesso: fez apenas seis jogos pela Seleção, com vitórias sobre Bolívia e Peru, empate com a Venezuela e derrotas para Uruguai, Colômbia e Argentina.

Veja a íntegra da nota do Fluminense

“O técnico Fernando Diniz deixou o comando do Fluminense FC nesta segunda-feira.

Diniz deixa como legado desta sua passagem não somente alguns dos títulos mais importantes da história de nosso clube, conquistados em 2023 e 2024, mas também o legado de um trabalho muito bem-sucedido em sua primeira etapa de sua atual passagem, ensinamentos importantes sobre sua maneira de entender o futebol e uma visão humanística que no todo trazem enorme contribuição a este esporte.

Fluminense, em nome de seu presidente, sua diretoria e seus funcionários, agradece a Diniz e deseja muito sucesso em sua carreira, sempre.

O auxiliar-técnico permanente Marcão estará à frente da equipe no jogo desta quinta-feira, contra o Vitória, no Maracanã.

Fluminense precisa de todo apoio do torcedor. Este é um momento que pede união de todos em torno do objetivo maior de retomarmos o caminho das vitórias.”

Por Ge

Veja Mais