17 julho 2024

Ferramenta do MPAC revela quase 5 mil mortes violentas no Acre desde 2013

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) apresentou na segunda-feira, 1º de julho, os “Painéis Gerenciais de Indicadores de Violência”, uma nova ferramenta desenvolvida pelo Observatório de Análise Criminal e Coordenação do Núcleo de Apoio Técnico (NAT). Esta iniciativa em Business Intelligence (BI) compila dados oficiais sobre várias formas de violência e criminalidade no estado.

A ferramenta fornece informações detalhadas sobre diversos aspectos, incluindo mortes violentas intencionais, situação do sistema carcerário, violência doméstica e violência no trânsito. Na apresentação, foi destacada a organização dos dados em séries históricas, oferecendo uma visão ampla da evolução da violência no Acre ao longo dos anos. Além disso, os dados permitem a visualização por município e a comparação com outros estados.

O procurador-geral do MPAC, Danilo Lovisaro, elogiou a equipe do Observatório e a coordenadora do NAT pela iniciativa, destacando a importância de fornecer informações valiosas para a formulação e avaliação de estratégias de prevenção e controle da criminalidade.

Entre os dados mais preocupantes está o registro de 4.880 mortes violentas intencionais (MVI) no Acre desde 2013. O ano mais crítico foi 2017, com 531 mortes violentas em 510 ocorrências. Nos anos subsequentes, os números variaram: 417 mortes em 2018, 319 em 2019, 323 em 2020, 192 em 2021, 238 em 2022 e 215 em 2023. Em 2024, até a última atualização do painel, foram registradas 78 mortes.

A capital do estado, Rio Branco, concentra a maioria dos casos, representando 54,30% (2.650 casos) do total. A segunda maior cidade, Cruzeiro do Sul, registra 8,52% (416 casos). O município com a menor taxa é Santa Rosa do Purus, com apenas 0,23% (11 casos).

Os dados revelam que o conflito entre facções e o tráfico de drogas são as principais causas das mortes violentas intencionais no Acre, representando 45,44% dos casos. O instrumento mais utilizado é a arma de fogo, responsável por 56,5% das mortes, seguido por arma branca, que corresponde a 33,01%. Meios indeterminados representam 10,35% dos casos.

Os “Painéis Gerenciais de Indicadores de Violência” são uma ferramenta crucial para entender a dinâmica da violência no Acre, possibilitando a criação de políticas públicas mais eficazes para combatê-la.

Veja Mais