Transporte clandestino, realizado por grupos de WhatsApp, é investigado pelo Ministério Público do Acre

0
148

26 Dez 2018 por Nany Damasceno do YacoNews

A promotora Alessandra Marques, por meio da Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Consumidor do Ministério Público Estadual (MPAC), investiga supostas irregularidades no transporte intermunicipal de passageiros em Rio Branco e em municípios do interior do Acre.

O serviço vem sendo realizado mediante a utilização de falsos grupos de carona compartilhada no aplicativo WhatsApp. A instauração do inquérito civil foi publicado na edição do Diário Eletrônico da instituição.

De acordo com a informação repassada ao MP, os falsos grupos de carona compartilhada são, na realidade, formados por prestadores ilegais de serviço de transporte clandestino intermunicipal de passageiros. A prática é ilegal, pois, “atuam à margem do sistema, mediante remuneração e com assiduidade”.

A instauração do inquérito civil foi publicado na edição do Diário Eletrônico da instituição
/Foto: Imagem ilustrativa/Reprodução

Na portaria nº 0025/2018, que instaura o inquérito civil, a promotora Alessandra Garcia Marques, considera que esse tipo de transporte, além de concorrer com o sistema de transporte oficial, especialmente com o transporte coletivo, “oferece riscos à segurança dos consumidores/usuários, uma vez que o transporte clandestino, muitas vezes, é instrumento para a prática de ilícitos penais”.

Marques destaca que, no Acre, o sistema intermunicipal de passageiros está estruturado por força de lei estadual. “A preservação e a melhoria do transporte regular de passageiros dependem do combate ao transporte ilegal, seja pela via cível ou criminal”, declarou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui