Mourão diz que alta do arroz é consequência do auxílio emergencial

0
125

UOL

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse hoje que a alta de alimentos da cesta básica como o arroz é provocada pelo dinheiro que o governo federal injetou na economia com programas sociais, sendo o principal deles atualmente o auxílio emergencial, com foco em trabalhadores informais. Segundo Mourão, a elevação dos preços ao consumidor “é uma questão da lei da oferta e da procura”.

“Uma porção de gente comprando porque o dinheiro que o governo injetou na economia foi muito acima do que as pessoas estavam acostumadas, tanto que está havendo grande compra de alimentos e de material de construção”, afirmou o vice-presidente hoje em Brasília, lembrando os programas sociais que foram implementados por causa da pandemia do novo coronavírus.

As pessoas estão se alimentando melhor e melhorando suas casas, essas são duas áreas onde está havendo bastante gasto”, acrescentou.

Mourão também lembrou as exportações de arroz, que se intensificaram nos últimos meses por causa do aumento do dólar, que torna a venda para outros países mais atrativa do que o mercado interno para alguns produtores.

“Também estamos vendendo bastante para o mercado externo. A safra de arroz nos últimos anos, a área plantada diminuiu porque os arrozeiros tiveram muito prejuízo, o cara muda de ramo, agora eles estão replantando”, comentou.

Ao contrário do que apontam alguns economistas, que preveem uma tendência de continuidade da alta dos preços, Mourão disse acreditar numa normalização dos preços em breve.

É um momento sazonal, daqui a pouco volta tudo ao normal”, afirmou.

“Alta transitória”

Assim como Mourão, o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia Adolfo Sachsida também confia que a alta dos alimentos será passageira.

 

“A recente alta dos preços de alguns alimentos é uma alta transitória e localizada”, afirmou Sachsida em entrevista à GloboNews. “Ela decorre sobretudo das transferências de recursos para parcelas mais pobres da população no esforço que o governo fez para combater os efeitos da crise do coronavírus”, completou.

“Com famílias pobres demandando mais alimentos, o preço de alguns alimentos aumentou, isso era natural e era esperado”, concluiu Sachsida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui