BR-364: governo federal deve liberar mais R$ 100 milhões para recuperação

0
123

O diretor de Planejamento e Pesquisa do Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT) Luiz Guilherme Rodrigues, sinalizou que o governo federal deve liberar um aporte de R$ 100 milhões, para que Departamento de Estradas de Rodagens do Acre (Deracre) possa restaurar os pontos mais críticos da BR-364 no trecho entre os municípios de Sena Madureira (no Vale do Yaco) até Tarauacá (no Vale do Envira).

O Ministério da Infraestrutura tinha liberado no começo deste ano, apenas R$ 30 milhões para a superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Acre (DNIT/ AC) continuar o trabalho de recuperação dos trechos mais críticos, enquanto o montante destinado no ano passado chegou a quase R$70 milhões. Luiz Guilherme admitiu que em virtude das restrições orçamentárias, a direção nacional do DNIT não teve como mandar mais recursos para as frentes de trabalho de tapa-buraco no Acre.

“A reconstrução de 400 quilômetros já está no cronograma do departamento, inclusive com a empresa que executará a obra, contratada”, revelou o gestor do DNIT
Apontando que as obras permitirão que toda a pista seja refeita com a adoção de uma nova tecnologia que permitirá a elevação da rodovia federal, como medida de prevenção para evitar infiltrações que reduz o tempo
de durabilidade dos serviços executados. O diretor Petrônio Antunes, acompanhado do deputado federal Alan Rick (União Brasil), e do responsável da Representação do Acre em Brasília Elomar Chaves, participaram da reunião no dia de ontem na sede da direção nacional do DNIT, para tratar da liberação de recursos do Orçamento da União para indenização das áreas que ficam no entorno do Aneviário de Brasileia (no Vale do Alto Acre).

“Temos que aproveitar esse período sem chuvas para corrermos com todas as obras previstas no estado”, disse o presidente do Deracre.

Constatação

Um relatório foi produzido recentemente pelo Núcleo de Apoio Técnico (NAT), do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) no trecho entre Rio Branco e Tarauacá, em resposta a um pedido de inspeção solicitado pela Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Tarauacá (na região do Vale do Envira).

Os técnicos usaram um drone para filmar os pontos mais críticos da BR-364, mas o relatório preliminar apontou os riscos de trafegar pela rodovia que interliga o Vale do Acre ao Vale do Envira.

Constataram a qualidade dos serviços de pavimentação asfáltica, inclusive as obras que estão sendo executadas pelas frentes das operações “tapa-buracos” naquela região, estão em conformidade com as normas técnicas do DNIT e com a qualidade exigida no contrato licitado.

Com informações A Tribuna

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui