Gehlen critica arrendamento de usina de asfalto para empresa privada e vereadores pretendem derrubar decisão de Mazinho

Para o deputado, ter arrendado o espaço para uma empresa particular foi um erro que precisa ser corrigido.

0
64

O deputado Gehlen Diniz (PP) aparece ao lado do presidente da Câmara de Sena Madureira, o vereador Jacamim (PP), e o vereador Pantico (PP), em vídeo e afirmando que apoiam a volta da Usina de Asfalto de Sena Madureira para o município, que atualmente está sob comando de uma empresa privada.

Para o deputado, ter arrendado o espaço para uma empresa particular foi um erro que precisa ser corrigido. “Nós vamos trazer de volta a Usina para Sena Madureira, custe o que custar. Não podemos admitir, temos que corrigir esse erro”, diz Gehlen.

No vídeo, o deputado relata que estava conversando com a população através da Rádio Difusora e, junto aos vereadores Jacamim e Pantico, chegaram a conclusão de que a Usina precisa voltar para o município.

Usina foi inaugurada em 2017 e é fruto de uma emenda do governador Gladson Cameli, que era senador na época. Foto: ContilNet

“O prefeito mandou um projeto para a Câmara e foi aprovado. Naquele momento, os vereadores votaram autorizando, acreditando que realmente iria chegar asfalto em Sena Madureira para tapar buracos e fazer novas ruas, mas são apenas 50 toneladas por mês, três caminhões que chegam, não dá para fazer nada. Nós, senamadureirenses, precisamos que a nossa Usina volte para cá”, explica Gehlen.

Na próxima terça-feira (24), os vereadores Jacamim e Pantico, junto aos outros vereadores do Progressistas, devem entrar com um Projeto de Lei que revogue a lei anterior, enviada pelo executivo e aprovada pela Câmara. Para Gehlen, o projeto deve ser aprovado com unanimidade. “Tenho certeza que esse projeto será aprovado com unanimidade, que até mesmo os vereadores da base do prefeito já se arrependeram”, diz.

Para o presidente da Câmara, Jacamim, a Usina era um sonho para os sena-madureirenses, mas hoje ele vê o povo descontente. Já Pantico, conta que foi o único a votar contra o projeto. “Os vereadores acreditaram naquele projeto e na palavra do prefeito. Acredito que nossos colegas foram enganados. Quando eu fui convidado para receber o asfalto, achei que eles iriam conseguir concluir uma rua, mas só deu para tapar uns oito buracos”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui