Zen cobra providências para os problemas nas escolas públicas e incêndio na Biblioteca da Floresta

Zen afirmou ainda que as soluções apresentadas pela secretaria de Educação não estão sendo suficientes para sanar todos os gargalos apresentados pela comunidade escolar.

0
34

O deputado Daniel Zen (PT-AC) abordou, mais uma vez, na tribuna da ALEAC, durante a sessão desta terça-feira (17), os diversos problemas que estão causando obstáculos ao desenrolar do ano letivo de 2022.

“Há semanas atrás apresentei um requerimento propondo a convocação do secretário de Estado de Educação, Cultura e Esporte do Acre, para que ele comparecesse à ALEAC a fim de prestar esclarecimentos. Concordamos em transformar essa convocação em convite, dada a boa vontade do secretário em comparecer voluntariamente. Agora, precisamos agendar a data dessa audiência com urgência, já que, passadas semanas desde a apresentação do requerimento, os problemas não se resolvem, só se avolumam”, salientou o deputado.

Zen afirmou ainda que as soluções apresentadas pela secretaria de Educação não estão sendo suficientes para sanar todos os gargalos apresentados pela comunidade escolar:

“Eu estive com o secretário no dia 5 de maio. Fui acompanhar a reivindicação das mães de alunos autistas e com demais deficiências para a contratação de mediadores e assistentes educacionais para os alunos especiais. A convocação para contratação destes profissionais foi publicada logo em seguida, no dia 13/05. Porém, em uma quantidade muito pequena, insuficiente para suprir a demanda apresentada pelas escolas”, afirmou o deputado.

Zen citou diversos problemas que vêm ocorrendo, como a remoção irregular de professores provisórios, a insuficiência de mediadores e assistentes educacionais, a falta de professores e servidor s de apoio para preencher o quadro de lotação das escolas, o não retorno das aulas nas escolas da zona rural por ausência de transporte escolar, dentre outros.

“Não bastasse tudo isso, ainda assistimos, com pesar, o incêndio ocorrido na Biblioteca da Floresta, fechada e abandonada desde o início do governo bolsonarista de Gladson Cameli (PP-AC). Esse incêndio pode ter comprometido não só as instalações físicas, como também o acervo da Biblioteca que, diga-se de passagem, é um dos maiores e melhores acervos sobre a Amazônia de toda a Região Norte. Por isso estou propondo que a ALEAC faça uma visita técnica, para que nós deputados saibamos o tamanho dos prejuízos decorrentes do incêndio, que só ocorreu em virtude do descaso do governo para com aquele importante equipamento cultural”, finalizou Zen.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui