Governo publica decreto que cria Comitê de Acompanhamento das Síndromes Respiratórias no AC após 10 mortes de crianças,

Decreto é publicado no momento em que o estado enfrenta alta das internações de crianças com síndromes respiratórias graves e mortes pela doença.

0
70

O governador do Acre, Gladson Cameli, publicou nesta quarta-feira (15) o decreto 11.071que cria o Comitê de Acompanhamento Especial das Síndromes Respiratórias (Caerp) no estado. O documento foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE).

O decreto é publicado no momento em que o estado enfrenta alta nas internações de crianças com síndromes respiratórias graves e mortes pela doença. Nessa terça-feira (14), a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) confirmou mais uma morte. Agora, são 10 óbitos de crianças em menos de dois meses.

Esse aumento dos casosexpôs a falta de estrutura dos hospitais para atender crianças, já que o pronto-socorro é a referência para atendimentos graves na capital.

Ogoverno tinha anunciado a criação do comitê,no último domingo (12), e oficializou nesta quarta. O comitê, de acordo com o texto, será composto por servidores da Sesacre, Casa Civil, Procuradoria-Geral do Estado, Secretaria de Estado de Comunicação, Ministério Público do Estado do Acre, Conselho Estadual de Saúde e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde.

O comitê tem como objetivo estudar a origem dos casos de SRAG em crianças; acompanhar a evolução dos casos em crianças; e propor ao governador a tomada de decisões relativas ao enfrentamento da doença.

Os membros devem se reunir a cada 15 dias, em caráter extraordinário.

Negligência

Pais das crianças que morreram com a doença acusam o estado de negligência e denunciam falta de estrutura e medicamentos nessas unidadesPor isso, na sexta (10), o Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC) fez uma fiscalização no pronto-socorro da capital.

A vistoria foi feita pela presidente do CRM, Leuda Dávalos, e pelo conselheiro diretor, Virgilio Prado, acompanhados de funcionários do setor de Fiscalização do CRM.

Uma das principais irregularidades encontradas, segundo o conselho, foi com relação ao local de atendimento da pediatria, que não há um consultório e, por isso, as crianças são atendidas no corredor da unidade.

Um relatório com os problemas detectados será elaborado pelo CRM e enviado, de maneira emergencial, à Secretaria Estadual de Saúde para que as devidas providências sejam tomadas.

Pacientes transferidos

Em meio a tudo isso, o governo decidiu transferir as instalações e pacientes do Hospital da Criança de Rio Branco para o prédio do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Acre (Into-AC). A transferência de 63 crianças ocorreu no sábado (11).

Agora, com a reforma no Hospital da Criança e transferência das instalações, todos os atendimentos pediátricos passam para o Into, não só os casos de síndromes respiratórias. No entanto, segundo a Sesacre, os pais que tiverem com crianças doentes devem primeiro procurar a Unidade de Pronto Atendimento do Segundo Distrito ou, nos casos mais graves, o PS, e depois os pacientes serão remanejados ao Into, caso seja solicitado pelo médico.

Nos últimos dias, o aumento nos casos de síndromes respiratórias em crianças tem chamado atenção. Mães e pais têm ficado desesperados com a demora por leitos para internação dos filhos e alegam negligência médica.

A 1ª Promotoria de Justiça Especializada de Defesa da Saúde do Ministério Público do Acre (MP-AC) informou que vai apurar se houve omissão no atendimento a crianças e a disponibilidade de leitos de pediatria, medicamentos e insumos da rede pública estadual, destinados ao atendimento de crianças acometidas de vírus respiratórios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui