Professor de educação física morto a tiros na frente da esposa e do filho é velado em centro de treinamento no AC

Marcelo de Araújo Brígido, de 42 anos, morreu na noite dessa terça-feira (31) no Residencial Bonsucesso, em Rio Branco. Professor é velado no centro de treinamento dele, no bairro Tangará.

0
101

Alunos, amigos, conhecidos e familiares do professor de educação física Marcelo de Araújo Brígido, de 42 anos, morto com pelo menos sete tiros, em Rio Branco, participam do velório realizado no centro de treinamento dele, na Rua Dourados, bairro Tangará, na capital, nesta quarta-feira (1º). Brígido será enterrado às 9h desta quinta (2) no Cemitério Jardim da Saudade.

A casa do professor foi invadida por dois criminosos na noite dessa terça (31), no Residencial Bonsucesso. Ele foi baleado na frente da esposa e do filho, de 9 anos.

Brígido era professor e tinha um centro de treinamento também no residencial. Ele estava em casa com a família, quando arrombaram a porta, entraram no local e efetuaram pelo menos sete disparos. A esposa dele presenciou o crime e disse que apenas se jogou com o filho no chão, segundo informou um familiar que preferiu não se identificar.

Inicialmente, a família não suspeita o que possa ter motivado o assassinato. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no pronto socorro.

Marcelo de Araújo Brígido, de 42 anos, foi morto a tiros — Foto: Arquivo pessoal

Investigações

O delegado Cristiano Bastos, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse que a equipe já fez os primeiros levantamentos.

O delegado disse que foram feitas diligências em busca dos suspeitos e recebeu informações de um veículo que possivelmente foi utilizado e fazem o levantamento para tentar identificar os envolvidos e o que motivou o crime.

“Já fizemos uma análise inicial da vida pregressa da vítima e não tem envolvimento com o crime, muito menos com organização criminosa. Vamos aprofundar a investigação. Trata-se de execução. Algo motivou essa execução. As pessoas falam que realmente era uma pessoa de bem, não tinha problema com ninguém, mas temos que aprofundar e identificar a motivação. Vários podem ser os motivos”, acrescentou Bastos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui