Michael Jackson teria usado 19 identidades falsas para obter drogas

0
27

Michael Jackson, que morreu em 2009, aos 50 anos de idade, após uma parada cardíaca, teria utilizado 19 identidades falsas para obter drogas. A revelação foi feita em um documentário da TMZ sobre o astro pop, que será lançado no próximo mês pela Fox. Aos 50 anos de idade, o cantor sofreu uma parada cardíaca provocada pelo anestésico propofol.

O médico que administrava o uso da substância por Jackson, Conrad Murray, foi condenado por homicídio involuntário e recebeu uma pena de quatro anos de prisão. Ele saiu de trás das grades após menos de dois anos. O produtor-executivo da produção contou que era rotineiro o cantor ficar chapado com Demerol “por horas a fio”

Intitulado como TMZ Investigates: Who Really Killed Michael Jackson, o documentário também traz diversas entrevistas e discussões a respeito da morte de Michael Jackson. “É muito mais complicado do que apenas: Dr. Murray estava ao lado de sua cama quando morreu. As circunstâncias levaram à sua morte por anos, e todos esses diferentes profissionais permitiram que Michael ditasse seus próprios termos, pegasse os remédios que quisesse, quando quisesse, onde quisesse. Todos eles são a razão pela qual ele está morto hoje”, explica o detetive do Departamento de Polícia de Los Angeles, Orlando Martinez.

Ed Winter, legista-chefe assistente do condado de LA afirma que o astro do pop estava tomando propofol em altas quantidades no momento de sua morte. De acordo com o profissional, o cantor ingeriu a droga em garrafas do tamanho de Gatorade. “Era a única maneira de dormir, especialmente quando estava se preparando para uma turnê”, contou.

Winter também afirmou que Jackson utilizou 19 identidades falsas para conseguir diferentes drogas e Arnold Klein, famoso dermatologista de Hollywood, registrou em um livro especial quais entorpecentes foram conseguidos com cada pseudônimo diferente.

Também no documentário, o cirurgião plástico de Jackson, Harry Glassman, contou como o astro conseguia as drogas. “A maneira como Michael conseguiu todas essas drogas foi fazer compras médicas. Ele tinha vários médicos diferentes com os quais estava envolvido e ele ia ao ‘Doutor A’ e pedia um sedativo, e então ele ia ao ‘Doutor B’ e podia pedir o mesmo”, explicou.

Em 2009, quando Michael Jackson se preparava para a turnê This Is It, o diretor Kenny Ortega demonstrou preocupação com o cantor durante os ensaios. “Há fortes sinais de paranoia, ansiedade e comportamento obsessivo. Acho que a melhor coisa que podemos fazer é chamar um psiquiatra de primeira linha para avaliá-lo o mais rápido possível”, dizia um e-mail enviado pelo profissional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui