Idealizado por servidora do TRE no Acre, e-Título facilita processo eleitoral em todo Brasil

0
27

Foi durante uma leitura de domingo que Rosana Magalhães, hoje diretora do Tribunal Regional Eleitoral no Acre (TRE-AC), teve um insight e pensou que não só acreanos, mas todos os brasileiros podiam acessar suas informações eleitorais em um aplicativo.

Foi naquele domingo que nasceu, da ideia de uma mulher, servidora do Acre, o embrião do e-Título, que hoje é uma das principais ferramentas da Justiça Eleitoral.

“Como sempre trabalhei na Justiça Eleitoral, acompanhei a dificuldade que as pessoas tinham de guardar esse título eleitoral, porque, como usam de dois em dois anos, as pessoas perdem o título e quando iam votar diziam que haviam perdido ou molhado o documento. Além disso, a pergunta maior era saber onde votava”, conta.

Naquele domingo, em 2017, ela estava lendo reportagens sobre alguns documentos digitais, que abordavam justamente o fato da facilidade e também contribuía para a redução de papel.

“No início, a ideia era ter uma via física, mas a pessoa ter a opção digital, ter as duas coisas. Então, elaborei uma proposta que apresentei para a desembargadora na época, que era a Regina Longuini, ela gostou e autorizou que eu encaminhasse para o Tribunal Superior Eleitoral, que é quem gerencia o cadastro eleitoral e tudo relacionado a isso”, relembra.

Celeridade
Na época, Rosana era secretária de tecnologia e apresentou a proposta no setor e, a partir daí, a ideia da servidora do TRE-AC passou a ser uma força-tarefa da Justiça eleitoral para que, além de um documento, o e-Título também funcionasse como um banco de dados.

“Quando a coisa tem que acontecer, ela vai rompendo barreiras e foi célere demais, porque tivemos a sorte de estar no final da gestão do ministro Gilmar Mendes e, mesmo assim, ao saber da proposta do e-Título, ele pediu celeridade. Até porque ele queria na gestão dele, obviamente, entregar esse produto. A gente participou do desenvolvimento direto, porque aí o TSE tomou de conta de todo o projeto e participei, participo até hoje do grupo que define as inovações, o crescimento, as novidades do e-Tìtulo, que não é mais um produto do Acre, é um produto da Justiça Eleitoral.”

O documento digital também é muito usado, segundo a diretora, por brasileiros que moram no exterior. No e-Título, você tem fotografia e outros dados que o título impresso não tinha, como a possibilidade de acompanhar sua situação eleitoral.

“Isso que o e-Título representa é uma novidade importante, porque tem mobilidade, portabilidade, ele tem dados que o título impresso não tinha. O documento é um portal de serviços, tem certidão de quitação eleitoral, certidão de crimes eleitorais negativa, ele traz a possibilidade de você justificar pelo e-Título fora do seu domicílio eleitoral porque ele tem o GPS, ele diz onde vota, traz o mapa e possibilita você se cadastrar como mesário voluntário. Este ano, vai servir como canal de informação sobre notícias verdadeiras pelo TSE, quem tem o e-título vai receber informações importantes. Enfim, é gratuito, em todas as plataformas está disponível e esse e-Título sempre vai ter novidade, então quem não tem baixe o aplicativo, agora porque quando mais próximo da eleição não tem como tirar depois”.

Baixar antes
A diretora destaca ainda que no dia da eleição, 2 de outubro, o TSE vai bloquear o acesso e não será possível baixar o aplicativo neste dia. Então, o ideal é que o eleitor baixe o quanto antes até para evitar filas virtuais.

O educador físico Fabiano Rodrigues já usa o aplicativo desde as últimas eleições e aprovou a facilidade.

“É muito importante para quem ainda não conhece essa ferramenta, baixem em seu celular, hoje todo mundo tem um celular, e tenho certeza que vai ajudar muito nessas eleições”, diz.

É o que a recenseadora Ariely Vieira pretende fazer, porque ela ainda não tem o documento digital, mas reconhece a importância de baixá-lo.

“É uma facilidade que ajuda muito as pessoas que não estão no estado, então facilita muito pretendo baixar porque se acontecer algum imprevisto você já fica sabendo”, pontua.

Em todo o Brasil, 27 milhões de eleitores já baixaram o aplicativo. No Acre, mais de 81 mil já possuem o e-Título. O título de eleitor impresso continua existindo com a mesma validade na versão original. Outro benefício de baixar o e-Título é que os dados eleitorais do cidadão estarão sempre seguros e disponíveis, diminuindo os riscos de extravios e danos ao título de eleitor.

De acordo com os dados da Justiça Eleitoral, estão aptos a votar nas eleições deste ano no Acre 588.433 eleitores, enquanto que em 2020 esse número era de 561.261. São 27.172 eleitores a mais. Além disso, o horário de votação este ano mudou, sendo que começa às 6h e segue até às 15h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui