Na zona rural de Epitaciolândia, Corpo decapitado é encontrado boiando em igarapé

0
70

Um corpo decapitado de um homem foi encontrado por pescadores boiando às margens de igarapé “Ina” na noite desta quinta-feira (10), em uma fazenda no km 32 da BR-317, no sentido Epitaciolândia/Rio Branco, na zona rural de Epitaciolândia, no interior do Acre.

Segundo informações da polícia, um grupo de amigos se reuniu para pescar no igarapé “Iná” e, ao chegar no local, sentiram um forte odor de podre. Ao se aproximar das margens do igarapé para ver o que estava no local, o grupo viu o corpo de uma pessoa do sexo masculino. Rapidamente, eles entraram em contato com as autoridades policiais, que se deslocaram até o lugar e constaram a veracidade da denúncia e que se tratava do corpo de um homem.

No local, os policiais civis da Delegacia de Epitaciolândia, liderados pelo Delegado Titular Luis Tonini, pediram apoio ao Corpo de Bombeiro Militar do 5° Batalhão, que com auxílio de barcos, resgatou o corpo que estava em estado de decomposição preso às margens do igarapé. Durante a remoção, foi percebido que a vítima estava sem a cabeça, supostamente foi retirado por alguém para dificultar a identificação do homem.

Uma perícia foi feita no local, mas a cabeça não foi encontrada. Os agentes do Instituto Médico Legal (IML) recolheram o corpo que apresentava marcas de tortura e encaminharam os restos mortais para serem feito os exames cadavéricos.

Ainda segundo informações da Polícia Civil, pelas características do corpo, acredita-se que a vítima seja Francisco Aparecido de Oliveira Lima, desaparecido há cerca de 14 dias, possivelmente morto na guerra entre as organizações criminosas na fronteira.

Francisco Aparecido de Oliveira Lima possui várias passagens pela polícia e condenação pela prática de homicídio. Francisco é dos suspeitos de ser um dos matadores da região, sendo que em imagens, Francisco apareceu participando da execução de Alexsander Fadel Neves, de 42 anos, conhecido como “Mãozinha”, e Júnior dos Santos Silva, vulgo “Rato”. Ambos crimes aconteceram em Epitaciolândia.

Outra informação que a polícia tem é que Francisco teria sido preso no lado boliviano e depois sumiu. Sua mãe o procurou por todas as delegacias bolivianas, mas, teria sido informada que seu filho foi entregue no lado brasileiro, sendo que não existe registro pelas autoridades brasileiras de extradição.

Todos os casos, tanto do achado de cadáver, quanto do desaparecimento de Francisco, estão sendo investigados pela Delegacia Civil de Epitaciolândia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui