Ligue-se a nós

POLITICA

Bebianno prepara dossiê sobre campanha de Bolsonaro, diz colunista

Publicado

no

 21 Fev de 2019 do YacoNews


Gustavo Bebianno disse a pessoas próximas que pretende reunir documentos para fundamentar eventuais histórias que tenha que contar sobre a campanha de Jair Bolsonaro e sobre o período em que permaneceu no governo como ministro da Secretaria-Geral da Presidência – ele foi demitido na segunda-feira (18). As informações foram publicadas pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

 Nesta terça-feira (19), a revista Veja divulgou áudios de conversas entre o presidente e Bebianno. Até então, o ex-ministro vinha afirmando que não atacaria Bolsonaro. À colunista, afirmou que o Brasil “não merece isso”.

 Uma das figuras mais próximas de Bolsonaro durante a campanha, Gustavo Bebianno presidiu o PSL durante a eleição e atuou como um dos mais próximos conselheiros do então candidato.

Bebianno prepara dossiê sobre campanha de Bolsonaro, diz colunista

 Advogado, se aproximou de Bolsonaro em 2017, quando o presidente ainda era deputado. Nessa época, se ofereceu para atuar em processos judiciais de Bolsonaro de graça e, aos poucos, ganhou a confiança de Bolsonaro, a quem chama de “capitão”.

 No entanto, a relação do agora ex-ministro e de Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente, nunca foi amistosa. Na época da campanha, Carlos se licenciou do mandato de vereador para acompanhar o pai.

 A relação dos dois piorou porque Carlos, responsável pelo sucesso das redes sociais do pai, ficou incomodado com o fato de não participar das gravações do programa eleitoral e das estratégias da campanha, o que ficou a cargo de um núcleo em torno de Bebianno.

 Apesar de ter sido homem forte da campanha, Bebianno demorou a ser oficializado ministro. Assim que o pai decidiu que seu desafeto seria o titular da Secretaria-Geral, Carlos operou para esvaziar as atribuições da pasta, deixando Bebianno com uma atividade mais administrativa.

 Carlos sonhava em comandar a Secretaria de Comunicação do governo, mas teve seus planos frustrados depois que o pai disse que isso configuraria nepotismo. Ele atribui a Bebianno a desistência do presidente de nomeá-lo.

Entenda a crise no governo

 Bebianno é o pivô da primeira crise política do governo, gerada pela suspeita de que o PSL fez uso de candidatura “laranja” nas eleições de 2018 para desviar verbas públicas, como divulgado pela Folha de S. Paulo. A suspeita azedou de vez a relação.

 Após a reportagem da Folha, Bebianno negou em entrevista ao jornal O Globo que fosse o pivô de uma crise dentro do governo e acrescentou que, somente naquele dia, havia falado com o presidente por três vezes por mensagens de WhatsApp.

 Após a publicação da entrevista, Carlos usou uma rede social para afirmar que Bebianno mentiu ao dizer que havia falado com o presidente. “Ontem estive 24h do dia ao lado do meu pai e afirmo: “É uma mentira absoluta de Gustavo Bebbiano que ontem teria falado 3 vezes com Jair Bolsonaro para tratar do assunto citado pelo Globo e retransmitido pelo Antagonista.””, escreveu.

 Carlos, e depois o próprio Jair Bolsonaro, chegaram a divulgar um áudio no qual, segundo eles, o presidente diz a Bebianno que não podia falar com o então ministro.

 Os áudios revelados pela revista “Veja”, porém, mostram que Bolsonaro encaminhou três mensagens de áudio para Bebianno no dia 12, mesma data em que o ex-ministro disse ter falado “três vezes” com o presidente.

Além disso, há entre os áudios outras dez mensagens trocadas entre Bebianno e o presidente nos dias seguintes.

Reunião com representante da Globo

 Apesar do clima ruim após a reportagem sobre as supostas candidaturas laranjas, a gota d’água foi Bebianno ter agendado um encontro na quarta-feira (13) com o vice-presidente de Relações Institucionais da Rede Globo, Paulo Tonet, emissora vista como ‘inimiga’ pela família Bolsonaro.

 A reunião, que constava na agenda pública de Bebianno, foi informada a Bolsonaro por Carlos, quando ainda estava internado no hospital Albert Einstein se recuperando de uma cirurgia.

 O compromisso foi tema de bate-boca entre os dois por meio de áudios de WhatsApp, divulgados por Veja:

“Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora… Inimigo passivo, sim. Agora… Trazer o inimigo para dentro de casa é outra história. Pô, cê tem que ter essa visão, pelo amor de Deus, cara. Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma porque cê tá trazendo o maior cara que me ferrou – antes, durante, agora e após a campanha – para dentro de casa. Me desculpa. Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final. Um abraço aí.”

Bebianno afirma ter sido demitido pelo filho de Bolsonaro

Nesta terça-feira, em entrevista à rádio Jovem Pan, Bebianno afirmou que foi demitido do cargo por Carlos. Segundo ele, o filho do presidente é um “destruidor de reputações” e “coleciona inimigos”.

Ele disse ainda ter “amor” e “afeto” pelo presidente e declarou não ter dúvida de que o governo “será um sucesso”.


 Por Yahoo Notícias

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLITICA

Gladson Cameli nomeia Tchê como secretário e outros comissionados nesta quinta

Publicado

no

Por

O governador Gladson Cameli nomeou nesta quinta-feira (2), Luis Tchê para o cargo de Secretário de Estado de Produção e Agronegócio (Seprod), além de outros cargos comissionados, na edição desta quinta-feira do Diário Oficial do Estado (DOE).

Entre os nomeados estão Mirla Moraes Miranda Mariano para exercer o cargo de diretora operacional na Fundação de Tecnologia do Estado do Acre (Funtac) e Lucas Pualmier Cosme Guerra para o cargo de Defensor Público do Estado do Acre.

Veja outras nomeações:

nomeações 2 de fevereiro

Por ContilNet

Continuar Lendo

POLITICA

Governador Gladson Cameli fará leitura da Carta Governamental na Aleac nesta quinta-feira

Publicado

no

Por

A abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) será realizada na sessão desta quinta-feira, 1. Na ocasião, o governador Gladson Cameli (PP) fará a leitura da Carta Governamental aos novos parlamentares.

Apesar da assessoria ter confirmando, anteriormente, a sua presença na posse dos deputados estadual, o governador não compareceu à cerimônia, nessa quarta. Em Brasília, quem representou o governo do Estado foi a vice Mailza Gomes (PP).

A posse dos deputados foi realizada nesta quarta-feira, 1, quando também foi realizada a eleição da Mesa Diretora, para o biênio 2023-2024 – composta por Luiz Gonzaga (PSDB) como presidente da Aleac, e o ex-presidente Nicolau Júnior (PP) como primeiro-secretário. A vice-presidência do Legislativo Estadual ficou com o ex-líder do governo, o deputado reeleito Pedro Longo (PDT).

Compõe também a mesa diretora os deputados: Chico Viga – 2º secretário; Maria Antônia (PP) – 2ª vice-presidente; 3ª secretária – deputada Antônia Sales (MDB); 3º vice-presidente – deputado Eduardo Ribeiro (PSD); 4º secretário – deputado Gene Diniz (Republicanos) e 5º secretário – Afonso Fernandes (PL).

por Maria Meirelles/Agazeta do Acre

 

Continuar Lendo

POLITICA

Em Epitaciolândia homem é morto a tiros enquanto aguardava esposa em frente de casa

Publicado

no

Por

O marceneiro Eliton Siqueira Martins, de 33 anos, foi executado com diversos tiros na manhã desta quarta-feira (1º) enquanto aguardava a esposa em frente de casa, no bairro José Hassem, em Epitaciolândia, interior do Acre. A vítima estava dentro do carro e foi atingida com, pelo menos, sete tiros.

Inicialmente, a Polícia Civil não acredita que o crime tenha relação com disputa de território entre as facções criminosas. O delegado que investiga o caso, Luiz Tonini, explicou que a vítima não tinha envolvimento com o crime organizado.

A principal linha de investigação para a polícia é crime passional. “Ele tinha uma marcenaria, não tinha envolvimento com facção, mas a gente não exclui. A princípio, pode ter relação com crime passional por causa de uma pessoa que ele se relacionava. Estão aparecendo outras informações aí e a gente está verificando”, afirmou.

Ainda segundo Tonini, antes do crime, Eliton Martins tinha atendido uma pessoa na porta de casa e foi para o carro esperar a esposa que iria trabalhar. Dois homens em uma motocicleta chegaram e um deles atirou várias vezes contra o marceneiro.

“Ela [esposa da vítima] disse que ele buzinou e ela falou que estava indo. Nisso, apareceram alguns caras em um moto e começaram a disparar contra ele. Foi executado dentro do carro. Tentei pegar informações, mas, infelizmente, ali é um local difícil, havia apenas uma pessoa na rua, esses dois sujeitos na moto praticamente ninguém viu. A área é muito restrita e está dificultando um pouco”, lamentou.

Por G1/Ac

Continuar Lendo

Trending