25 maio 2024

Em menos de 15 dias casal é preso pela 2ª vez por tráfico de drogas e cooptação de mulas na fronteira

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
José Dutra Aguilera e Fabiana Carvalho, foram presos pela segunda vez em menos de 15 dias, por tráfico de drogas e outros delitos.

O casal José Dutra Aguilera e Fabiana Carvalho, foi preso pela segunda vez em menos de 15 dias, por tráfico de drogas da fronteira para a capital do estado do Acre. Na primeira prisão, a mulher portava mais de 5 quilos de pasta-base de cocaína amarrada entre as pernas.

Na época da primeira prisão, durante a audiência de custódia, a juíza de plantão da Vara Criminal, liberou os acusados para serem monitorados por tornozeleira eletrônica. O casal deveria ficar com o equipamento pelo prazo de até 90 dias ou mais, até que as investigações fossem concluídas.

Fabiana e José foram presos em flagrante pela PRF duas semanas atrás.

Porém, não foi bem isso que aconteceu, policiais da delegacia de polícia de Epitaciolândia, continuaram com as investigações e descobriram que o casal continuava com as práticas criminosas, e ainda estavam desdenhando das autoridades de segurança.

Segundo informações, as investigações apontam que o casal era responsável por cooptar mulas para o tráfico, sendo que só na delegacia de Epitaciolândia foram cerca de nove casos registrados, e essas pessoas presas afirmavam que a droga pertencia a eles, fora os outros casos que foram pegos na BR317 e em outros municípios.

Cerca de cinco quilos de drogas estavam presas nas pernas de Fabiana.

Eles cooptavam e pagavam jovens entre 19 e 20 anos para fazer o ‘trabalho’ de formiguinha com transporte de um a dois quilos de drogas. Aos poucos e por serem bem articulados, o negócio foi rescendo, passando a transportar maiores quantidades. Com a polícia fechando o cerco e as mulas ficando escassas, José resolveu colocar a própria esposa para transportar o entorpecente.

Após a polícia investigativa fazer um ajuntado com provas e testemunhas, foi feito um relatório para a juíza da Comarca, pedindo a prisão preventiva em desfavor do casal. A magistrada atendeu o pedido por entender que eles não poderiam ficar em liberdade, e emitiu a ordem de prisão. Agora, os dois serão transferidos para a Unidade Prisional Francisco de Oliveira Conde em Rio Branco.

Além dos crimes de associação ao tráfico, formação de quadrilhas, pesa contra José Dutra Aguilera, a quebra da condicional pelo rompimento da tornozeleira eletrônica. Segundo foi informado por agentes da Polícia Civil, ele deverá ser enquadrado também nesse crime.

Por O Alto Acre

Veja Mais