24 maio 2024

Empresa do Acre é acusada de aplicar golpe milionário em ex-jogador do Palmeiras

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

A empresa acreana Xland Investment, focada em criptomoedas, foi manchete nacional, neste domingo, 12, no programa Fantástico, da Rede Globo, por suposto golpe no ex-jogador do Palmeiras Gustavo Scarpa, que, atualmente, joga no Nottingham Forest, da Inglaterra. O outro atleta envolvido na polêmica é William Bigode, titular do Fluminense.

Empresa tem filial no Acre e já é alvo de investigação do MPAC

Scarpa, que disse ter investido mais de R$ 6 milhões no negócio, alega ter sido vítima de um golpe milionário envolvendo criptomoedas, por intermédio da empresa WLCJ, do atacante do tricolor, que teria ligações com a Xland Investment.

Em outubro de 2022, o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio da 1ª Promotoria de Defesa do Consumidor, propôs uma ação civil pública, visando apurar possível formação de esquema de pirâmide financeira praticado por essa empresa.

A ação é assinada pelo promotor de Justiça Flávio Bussab Della Líbera, titular da 1ª Promotoria Especializada de Defesa do Consumidor.

Segundo levantamento feito pela Núcleo de Apoio Técnico (NAT), por meio Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB) do MPAC, existem indícios de que a Xland Investment esteja aplicando golpe, um esquema ilícito, pois estaria se aproveitando do fato de que criptomoedas serem ativos financeiros sobre os quais a maioria da população tem pouco conhecimento.

Bigode, que chegou a ter R$ 1,8 milhão bloqueado pela Justiça, negou as acusações e disse que também é vítima de um golpe, pois investiu recursos financeiros em criptoativos e perdeu cerca de R$ 17,5 milhões. O jogador do Fluminense afirma que solicitou o resgate dos valores, em novembro de 2022, e até hoje não recebeu qualquer quantia. À polícia, o jogador afirmou que todos os valores estão declarados em seu Imposto de Renda.

A Xland, que tem filial em Rio Branco, tem uma parceria com a WJLC, empresa de Bigode. Em junho de 2020, Willian repassou para Scarpa um arquivo da Xland e escreveu: “Essa apresentação é sobre criptomoedas que conversamos”. Scarpa começou, então, a fazer investimentos com a Xland. No contrato, a promessa: lucro de “até 5% ao mês”, porém o acordo não foi cumprido.

O MPAC abriu uma ação civil pública contra a Xland. A empresa ja responde a três processos na Justiça acreana; um deles relacionado a um calote de R$ 2 milhões nos investidores.

Em depoimento na quinta-feira, 9, Willian Bigode e a sócia dele, Camila, afirmaram que também foram vítimas da Xland. Um dos sócios da empresa acreana, Gabriel Monteiro, sócio da Xland, também se disse vítima, mas da empresa FTX, a segunda maior corretora de criptomoedas do mundo, que faliu no ano passado.

Veja nota à imprensa divulgada pela Xland:

1) Em primeiro lugar, a empresa Xland tem o interesse de esclarecer que não está vinculada a qualquer tipo de atividade ilícita, muito menos possui qualquer esquema de golpe financeiro atrelado a suas Atividades operacionais.

2) A bem da verdade, a empresa já possui 05 (cinco) anos de operações bem-sucedidas. Inclusive, a empresa já constou de rankings internacionais como uma das mais lucrativas no segmento de criptomoedas. Ao longo de todos esses anos, a empresa sempre se revelou muito lucrativa, e por sua vez, sempre honrou com todos os seus compromissos junto aos clientes investidores.

3) A Xland possui um CNPJ com CNAE específico, que nos exatos termos da Instrução Normativa IN 1888 da Receita Federal, autoriza a realização das atividades de Custódia e Locação de ativos virtuais. Atualmente, a empresa conta com mais de 50 operadores profissionais, em mais de 06 (seis) unidades no Brasil. Não bastasse isso, nos últimos anos, houve um grande avanço no processo legislativo brasileiro a respeito do tema Criptoeconomia. E hoje, já foi aprovada uma Lei Federal que autoriza expressamente a atividade no Brasil (Lei 14.478/22).

4) Todos os atuais atrasos e incidentes pelos quais a empresa vem passando são decorrentes de um problema que tem sua Origem nos E.U.A. Uma vez que, a Xland é mais uma das milhares de vítimas da segunda maior corretora de Criptomoedas do mundo, que se chama FTX! Hoje, todos os recursos da empresa estão congelados em um processo judicial de Recuperação da FTX que se desenrola nos Estados Unidos (Se chama Capítulo 11 e corre no estado de Delaware). Demais informações sobre o processo podem ser encontradas no próprio site . https://ftx.com/.

5) Certo é que, a empresa já está tomando todas as medidas judiciais cabíveis para retomar o acesso de todos os ativos em posse da FTX, e em breve, os sócios pretendem retomar o curso normal das atividades de investimento, operando por meio de outra Exchange que não seja a FTX.

6) Importante consignar que, a Xland não está sozinha nesse caos internacional que foi instaurado pelo rombo da FTX (Segunda maior Exchange do mundo). Esse incidente bilionário pode ser classificado como uma falha do Governo Americano, que por meio da SEC concedeu todas as licenças necessárias para que a FTX pudesse operar no mercado americano e no mercado internacional. Essa falha de Segurança das Autarquias Americanas acabaram por abalar todo o mercado de criptomoedas internacional, e levou milhares de investidores a falência. Estamos falando de uma divida estimada em mais de 20 bilhões de reais (4 Bilhões de Doláres). Diversos investidores institucionais do munda inteiro foram prejudicados (Black Rock, Apple), há uma lista de credores no portal da FTX. Todos os investidores estão com seus recursos congelados por questões de um processo judicial de Recuperação e falência, assim como a Xland. Portanto, agora, é necessário aguardar decisões judiciais dos Estados Unidos. Sobre esse processo especificamente, a empresa está adotando todas as medidas para habilitar o crédito judicialmente nos USA e reaver o controle de todos os ativos em posse da FTX.

7) Não se pode querer criminalizar qualquer stividade que esteja relacionada com o Universo da Criptoeconomia. Muito menos, fazer essas tentativas precipitadas de rotular tudo como se fosse golpe financeiro ou piramide. Os jogadores do palmeiras que foram a público, bem como todos os demais investidores que possuem crédito com a Xland receberão respostas formais dentro dos processos que já foram devidamente ajuizados, no sentido de formalizar os meios e as devidas propostas de pagamentos.

8) No que diz respeito aos Processo Judiciais que estão em andamento, inclusive uma ACP ajuizada pelo próprio MP do ACRE, até o presente momento, a empresa não foi condenada em nenhum processo judicial. E empresa está ciente de todos os processos, mas esses processos estão em sua fase inaugural. Na maioria dos processos, a empresa sequer foi citada. De qualquer forma, o juridico da empresa vai praticar todos os atos necessários, respeitando a ordem do devido processo legal, no sentido de comprovar em juizo a total licitude de todas as atividades praticadas pela Xland.

9) Desde já, a empresa informa que não esperará apenas as soluções tradicionais decorrentes do processo americano de faléncia da FTX, e afirma que já está procurando soluções alternativas para honrar com o pagamento de todos os clientes.

10) Por fim, os sócios da empresa (Jean e Gabriel) fazem questão de eximir e isentar qualquer responsabilidade em relação aos assessores comerciais da empresa, como é o caso do próprio William Bigode, que confiaram no mercado de criptomoedas e que confiaram no modelo de negócios da empresa Xland. Esses empreendedores e trabalhadores não podem ser acusados em decorrência de tudo o que ocorreu no mercado internacional com milhares de investidores que mantinham relação com a FTX. Eles também são apenas vitimas de uma Exchange internacional, que tinha todas as licenças operacionais concedidas pelo Governo Americano, e não podem ser responsabilizados pelos atos de gestão praticados pela XLAND.

11) Os sócios da empresa Xland afirmam que estão à disposição para cooperar com todas as autoridades, bem como para esclarecer todas as dúvidas em relação aos procedimentos jurídicos que serão adotados para honrar com os créditos de seus clientes. Importante ressalvar que, atualmente, não existe nenhuma investigação de natureza criminal da qual a empresa já tenha sido citada ou intimada.

12) Para Atestar a veracidade de todas as informações prestadas, faz-se necessário acompanhar o andamento do processo junto ao próprio site da FTX. https://ftx.com/ . Que Atualmente possui um administrador judicial prestando todos os esclarecimentos.

13) Os sócios da empresa estão confiantes de que todos esses problemas, em breve, serão solucionados de forma positiva. Seja pela via judicial, seja por outras vias alternativas de levantamento de recursos para pagar todos os clientes. E por certo, o mercado de criptomoedas se desenvolverá ainda mais, em seus aspectos de segurança e protocolos de confiabilidade, após todo o ocorrido. A intenção dos sócios, assim que adimplir com todos os pagamentos, é retomar o curso das atividades das empresas e voltar a ser uma das empresas expoentes no mercado internacional. Brasília, 10 de março de 2022.

por Dell Pinheiro/ A gazeta do Acre

Veja Mais