24 maio 2024

Integrante do novo cangaço que escapou de ataque no Acre é executado em Recife

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Anderson Gomes de França Primeiro, trabalhava como motorista de aplicativo em Rio Branco, no Acre. Ele, que integrava o novo cangaço, uma quadrilha especializada em atacar agências bancárias de pequenas cidades, utilizava o nome falso de José Alfredo Gomes.

Mas a verdadeira identidade e o histórico de crimes do assaltante, vieram à tona, em de dois de junho do ano passado. Era início da tarde, quando o foragido chegou em casa, em carro modelo Prisma.

Onze segundo depois, um Celta de cor prata, estaciona ao lado do imóvel. Um bandido desceu do automóvel e fez uma sequência de tiros contra Anderson Gomes. O ataque ocorreu na rua Perdiz, no Conjunto Ouricuri, em Rio Branco.

Atingido três vezes, a vítima foi socorrida pelo SAMU e encaminhado ao Pronto Socorro.

Mas, no Hospital de Urgência e Emergência, investigadores da Delegacia de Homicídios, descobriram a verdadeira identidade do motorista de aplicativo. Depois de receber alta médica, Anderson Gomes foi preso pela Polícia Civil. No dia seguinte foi encaminhado para a audiência de custódia.

Mas como nenhum mandado de prisão foi encontrado, acabou liberado.

Seis dias depois, o membro do novo cangaço, foi detido por investigadores da Delegacia de Homicídios. Ele foi flagrado dentro de um cartório da cidade com documentos falsos, tentando fazer a transferência de um carro, para outra pessoa.

A investigação policial, descobriu ainda que o assaltante tinha dois mandados de prisões preventiva em aberto, expedidos pela Justiça da Bahia e Pernambuco.

No dia seguinte a prisão, Anderson Gomes, foi encaminhado ao presídio de Rio Branco.

Mas em novembro passado, ele progrediu de regime e ganhou a liberdade. O assaltante voltou ao Estado de Pernambuco, onde foi assassinado. A defesa encaminhou um documento, pedindo a extinção  do processo, que o réu respondia no Acre, pelo crime de uso de documento falso.

Consta na petição encaminhada pelo advogado ao juiz da 3ª Vara Criminal que Anderson Gomes de França Primeiro, foi assassinado no dia 15 de fevereiro deste ano. O crime aconteceu na rua Sargento Silvino de Macêdo, em Recife.

No atesto de óbito, consta como causa da morte Politraumatismo decorrente de ação perfuro contundente de projéteis de arma de fogo.

O corpo de Anderson Gomes foi enterrado no cemitério Parque das Flôres.

A Justiça deve determinar o arquivamento do processo.

Por o alto acre

Veja Mais