22 maio 2024

MC Pipokinha pede desculpas após debochar de professores: ‘Em nenhum momento eu quis ofender’

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

MC Pipokinha pediu desculpas após fazer um vídeo em que debocha do salário de professores. A fala foi em resposta a um fã no Instagram, que tinha contado que discutiu com uma professora por causa da funkeira (Leia mais abaixo).

Após o deboche, a cantora teve ao menos sete shows cancelados. E na noite desta quarta-feira (15), Pipokinha fez um vídeo pedindo desculpas.

“Primeiramente queria pedir desculpas a todos vocês e aos professores. Fui mal interpretada pelo o que falei. Então se eles se sentiram ofendidos comigo, queria pedir muita desculpa.”
“Eu tava sofrendo muitos ataques, que não chegaram aqui na mídia, então no calor da emoção acabei falando aquilo mesmo, mas em nenhum momento eu quis ofender os professores. E se se sentiram ofendidos com minha palavra, peço desculpas porque não foi a minha intenção. Espero que tenham entendido”, afirmou a cantora.

A postagem foi feita no perfil reserva do Instagram da cantora.

Cancelamento de shows

A cantora de funk MC Pipokinha já teve ao menos sete shows cancelados após fazer um vídeo em que debocha do salário de professores. Ela perdeu apresentações no RN, SC, DF, ES, RO, MG e SP. Entenda o caso abaixo:

  1. Quais foram os shows cancelados?
  2. Qual foi a declaração de Pipokinha?
  3. E o que a cantora disse após os cancelamentos?
  4. Quem é a MC Pipokinha?

 

1 – Quais foram os shows cancelados até agora?

A maior parte dos eventos tem público universitário ou é organizado diretamente por grupos de estudantes. Neste contexto, o deboche dela aos professores se torna ainda mais grave.

A festa estudantil Integra Inter, em Araraquara, por exemplo, justificou que “o evento tem como objetivo ser um espaço plural e diverso, oriundo de uma instituição que representa a universidade pública e sua necessidade de valorização junto à educação no Brasil”

2 – Qual foi a declaração de Pipokinha?

MC Pipokinha debochou do trabalho e dos salários dos professores em resposta a um fã no Instagram, que tinha contado que discutiu com uma professora por causa da funkeira.

“Ser professora tem que amar muito a profissão, porque ouve desaforo dos filhos dos outros, tem nada pra fazer em casa mesmo, tem que ser professora. E ainda receber o que um professor recebe, que é quase nada. Professor é humilhado pra c… só de ser um professor”, afirmou a funkeira.

E completou: “Meu baile está R$ 70 mil: 30 minutinhos no palco, eu ganho R$ 70 mil. Ela não ganha nem R$ 5 mil sendo professora às vezes. Precisa estudar muito”.

3 – E o que a cantora disse após os cancelamentos?

Após a repercussão negativa da fala e de ter vários shows cancelados, a equipe jurídica da cantora se pronunciou dizendo que ela ‘se expressou de maneira dúbia’.

A equipe jurídica da cantora afirma que ela “infelizmente, vem sofrendo inúmeros ataques gratuitos na internet, em razão de ser atuante em questões de empoderamento feminino e por estar em constante crescimento na mídia, e ao ouvir palavras supostamente ditas por outra mulher, se expressou de maneira dúbia, dando assim, chance para interpretações pejorativas e que foram distorcidas de sua real intenção”.

4 – Quem é a MC Pipokinha?

A cantora catarinense Doroth Helena de Sousa Alves tem 24 anos, cresceu em Tubarão (SC) e mora em São Paulo. Ela é filha de pais mórmons e foi para SP sem casa para se tornar cantora de funk.

Ela canta letras sexuais ousadas com um vocal agressivo ao som das batidas estouradas do funk de rua, estilo conhecido como “mandelão”, em faixas como “Bota na Pipokinha”, “Eu sou a MC Pipokinha” e “Tira as crianças da sala”.

“Não é porque eu sou melhor”, explicou a cantora que causa espanto com os movimentos sexuais agressivos de seu show de funk. “Mas porque sou inteligente”, ela completa.

A sacada, segundo a MC, é ligar as letras ao palco. “É como se a história fosse a música, e o que eu apresento no meu espetáculo fosse um teatro”, diz. “Como se fosse um musical da putaria”, ela define.

No palco, seus dançarinos pegam os fãs que se habilitam a participar, jogam para cima e para baixo, dão tapas e golpes pélvicos. Pipokinha surge de coroa e se proclama “rainha da putaria”. As cenas de surras sexuais (consentidas pelos fãs) repercutiram nas redes.

Por g1

Veja Mais