24 maio 2024

No Dia Internacional da Mulher, governo do Acre destaca a força de quem supera desafios

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Comemorado há 48 anos, o Dia Internacional da Mulher marca uma data de luta, superação, recomeço e conquistas. O governo do Acre trabalha no fortalecimento de políticas públicas destinadas ao gênero feminino, no combate e enfrentamento à violência doméstica e familiar.

Como forma de fortalecer as ações, foi instituída, no dia 16 de fevereiro, por meio da lei nº 4.085, a Secretaria de Estado da Mulher (Semulher). Mas ninguém luta sozinha. Para celebrar a data, foram selecionadas histórias exemplares de diversas frentes no serviço público do Estado.

Dayanne Andrade

Dayanne Andrade, enfermeira, é bombeira militar há 16 anos, da primeira turma de soldados femininas do CBMAC em 2007. Está a serviço do CBMAC no Ministério da Justiça, em Brasília, há um ano. Recentemente, a tenente integrou uma missão multidisciplinar brasileira de assistência humanitária no Chile. “Venho de uma família em que as mulheres sempre trabalharam muito, foram o sustento da família, em sua maioria professoras. Tive a sorte de me encontrar nessa profissão, pois ajudar o próximo quando ele mais precisa é um privilégio”, conta.

Tenente Dayanne da Silva em missão de assistência humanitária no Chile. Foto: Arquivo pessoal

Wanda Andrade

Wanda Andrade, biomédica e pediatra, e atua na profissão há seis anos. Trabalhou no Samu por três anos e, atualmente, está no transporte aeromédico do Ciopaer e também na UTI pediátrica. “Possibilitamos o suporte médico e resgate para pacientes que residem em áreas isoladas ou de difícil acesso. Somos geralmente o primeiro atendimento ao doente e às vítimas em situação de urgência e emergência”, relata.

Wanda é biomédica e pediatra. Foto: Arquivo pessoal

Gislene Amaral

Gislene Amaral é policial militar desde 2000. Já trabalhou na Força Nacional, Ministério da Justiça e no Gabinete do comandante-geral da Polícia Militar. Atualmente está à disposição da Diretoria de Ensino do Centro Integrado de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública (Cieps), fazendo o Curso de Habilitação de Oficiais Administrativos.

“Acredito que algumas habilidades femininas nos ajudam a desempenhar melhor nossa função em prol da segurança pública, pois aprendemos desde cedo a lidar com pressão, multiplicidades de tarefas e sensibilidade no trato pessoal”, afirma.

Gislene: “Habilidades femininas nos ajudam a desempenhar melhor nossa função”. Foto: Cleiton Lopes/Secom

Thays Daher

Thays Daher é enfermeira há 17 anos, com especializações em urgência e emergência, atendimento aeroespacial e em unidade de terapia intensiva (UTI). Atualmente, está no Samu, na ambulância de suporte avançado e em resgate aeromédico. “O enfermeiro possui uma grande habilidade no cuidado com o próximo, prestando assistência e garantindo o seu bem-estar, amparando e confortando não só os pacientes, como os familiares”, explica.

Thays é enfermeira há 17 anos. Foto: Cleiton Lopes/Secom

Janete Araújo

Janete Araújo, pedagoga desde 2006 e professora desde 1989, é especializada em psicopedagogia, e atualmente é gestora na Escola João Paulo II, em Rio Branco. “Amo a minha profissão e busco me dedicar completamente ao que faço, pois a escola, os alunos, são meu combustível para viver”.

“Amo a minha profissão”, diz Janete. Foto: Cleiton Lopes/Secom

Políticas Públicas para as Mulheres

Antes vinculada à Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e Políticas para as Mulheres (SEASDHM), a pasta da Mulher tem como atribuições promover a autonomia econômica e social, igualdade no mundo do trabalho e desafios do desenvolvimento sustentável, autonomia cultural, pessoal, política, e a institucionalização e financiamento de políticas para as mulheres.

A diretoria atuava na transversalidade com outras políticas e órgãos, para que desta forma seja efetivada as políticas voltadas às mulheres. Em 2022, foram realizadas diversas ações destinadas ao gênero e ao combate e enfrentamento à violência doméstica e familiar.

Visita realizada pela equipe da SEASDHM. Foto: cedida

Assim se deu o lançamento da Campanha do Sinal Vermelho, o atendimento da equipe multidisciplinar na unidade móvel Ônibus Lilás, a capacitação de Organismos Municipais de Políticas para as Mulheres (OPM), a Caravana da Cidadania com mulheres indígenas e o lançamento do Convênio Acre pelo Enfrentamento à Violência contra Mulheres. Em 2022, foram atendidas 2.254 mulheres pela SEASDHM.

Assegurar o direito das mulheres e lutar contra a violência doméstica, principalmente o enfrentamento ao feminicídio, estão entre as prioridades da atual administração estadual.

Campanha do Sinal Vermelho. Foto: Neto Lucena/Secom

A reforma da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), em Rio Branco, é outro avanço do governo do Acre nas políticas públicas destinadas ao gênero. Foram R$ 3 milhões investidos e a entrega das instalações está prevista para o fim de março.

“Como vice-governadora reforço meu compromisso de lutar por melhorias em todos os setores públicos para oferecer um estado cada vez mais seguro a nós mulheres”, destacou a vice-governadora,  Mailza.

Vistoria das obras da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, em Rio Branco. Foto: Felipe Freire/Secom.

A atual secretária da Mulher, Márdhia El-Shawwa, atuou durante muitos anos como delegada de polícia, na defesa das mulheres em situação de vulnerabilidade social.

“A retomada da Secretaria da Mulher é um sonho antigo que agora se tornou realidade. Sou muito grata por esta conquista de todas as mulheres que lutam diariamente pelos seus direitos. Estamos ansiosas para colocar em prática as políticas que serão implementadas para garantir que as mulheres do nosso estado possam contar com uma rede de proteção eficaz. Vamos trabalhar para fazer a diferença e lutar cada vez mais por um estado livre do feminicídio”, diz.

O governo do Acre empossou Márdhia El-Shawwa como secretária da Mulher. Foto: Diego Gurgel/Secom

Em alusão ao Mês da Mulher, a pasta está realizando uma vasta programação de atividades que se iniciaram na quarta-feira, 1º, com o lançamento da programação Mês da Mulher: Compromisso do Acre pelo Enfrentamento ao Feminicídio. E capacitação da Rede de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência de Rio Branco sobre a implantação do Programa Acolhe.

A agenda integrada se estende até o dia 30 de março, com capacitações, cursos e palestras também em Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Senador Guiomard, Plácido de Castro, Acrelândia, Xapuri, Marechal Thaumaturgo, Jordão, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Capixaba e Epitaciolândia.

Por Agencia de Noticias do Acre

Veja Mais