24 maio 2024

Pai que enfrentou correnteza de enxurrada com gêmeos nos braços, salvou bisavó em uma caixa d’água

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Nem todo herói usa capa, alguns utilizam apenas a coragem e o amor. Esse é o caso do acreano Luciano Cunha da Silva, 39 anos, que viralizou nas redes sociais após ser gravado no momento em que enfrentava a fúria das águas do Igarapé Judia, no bairro Recanto dos Buritis, em Rio Branco, para salvar os filhos gêmeos recém-nascidos.

O vídeo do pai segurando os filhos de apenas dois meses, Ângelo e Lorenzo, com um braço, enquanto usava o outro para se apoiar em vizinhos, que o ajudaram a atravessar as águas, ganhou repercussão nacional. A cena foi registrada na quinta-feira, 23, dia em que as chuvas e a enchente começaram a desabrigar família na capital acreana.

A coragem de Luciano tem sido reconhecida por todos, mas, o que poucos sabem é que o acreano, que está desempregado, também salvou a sua avó e bisavó dos gêmeos, Maria Delurdes Cunha da Silva, 87 anos, dentro de uma caixa d’água de 500 litros.

“Foi Deus que mandou a caixa d’água, pois minha avó tem dificuldade de locomoção. A ideia era levar ela nos braços, mas, quando tirei as crianças e retornei para buscá-la, já não dava mais. Dentro da caixa d’água consegui resgatar minha avó, nossa cadela e umas roupas”, relembra Luciano, que desempregado e desalojado tem contado com o apoio e a solidariedade de pessoas por meio de doações.

Além da avó e dos filhos, o acreano também ajudou a resgatar outras pessoas. A casa da família foi afetada rapidamente pelas águas, de modo que nada pôde ser retirado, todos os móveis foram perdidos. Apesar da água ter baixado e a residência já ter sido limpa, eles ainda não conseguiram retornar para casa.

Segundo Luciano, a família ainda não recebeu nenhuma ajuda do poder público.

“Na verdade, o nosso sofrimento é apenas uma pequena amostra do sofrimento das pessoas que moram nestes bairros. Nossos vizinhos também estão sofrendo, uns mais, outros menos. Mas, todos se sentem desamparados. A única ajuda que chega é de almas caridosas. Ajuda do governo e da prefeitura, até agora, nada”, afirmou.

Por A Gazeta do Acre

Veja Mais