25 maio 2024

Pai solo que cuida de filhas deficientes no Acre ganha casa com ajuda de doações: ‘nunca perdi a esperança’

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Francisco de Oliveira chorou ao ver a casa que agora vai morar com as quatro filhas — Foto: Thais Cistiny/Arquivo pessoal

“Nunca cheguei a sonhar em ter uma casa como essa. Só tenho a agradecer a Deus e as pessoas que colaboraram. Estou muito feliz porque minhas filhas estão em uma situação bem melhor. Minha casa é linda, tem dois banheiros dentro”.
O relato emocionado é de Francisco Valdecir de Oliveira, de 40 anos, pai solo que cuida de quatro filhas deficientes e ganhou uma casa nova com ajuda de doações de voluntários de várias regiões do mundo. A entrega ocorreu nesse sábado (11) no bairro Portal da Amazônia, em Rio Branco.

A história de Francisco de Oliveira viralizou em janeiro deste ano. Ele emocionou a internet ao aparecer em uma página nas redes sociais contando que morava em Plácido de Castro, interior do Acre, em uma casa humilde que nem banheiro tinha.

Por conta de problemas de saúde, as quatro filhas de Francisco, que têm entre 4 a 10 anos, precisam de cuidado em tempo integral e é dele a responsabilidade. As meninas têm epilepsia e recentemente descobriram que duas delas apresentam sintomas de microcefalia.

A situação comoveu Derineudo de Souza, ativista social e representante do movimento Razões Para Acreditar no Acre, que iniciou uma campanha de doações e arrecadou mais de R$ 500 mil. Com o dinheiro, a família se mudou para a capital Rio Branco e passou a morar em uma casa alugada enquanto a outra era mobiliada e arrumada para receber os novos donos.

“A escola é perto, fica do outro lado da rua. O coração quase não aguenta. As meninas estão achando bom demais, passam o dia todo brincando e tem bastante espaço para elas brincarem. Nunca perdi a esperança, fé a gente tem, mas nunca imaginava que seria assim. Nunca perdi a esperança de ter uma vida melhor com minhas filhas”, acrescenta.

Francisco de Oliveira moravam em Plácido de Castro e a casa onde vivia não tinha banheiro — Foto: Thais Cristiny/Arquivo pessoal

Francisco de Oliveira moravam em Plácido de Castro e a casa onde vivia não tinha banheiro — Foto: Thais Cristiny/Arquivo pessoal

Rede de solidariedade

Os recursos para comprar a casa para Francisco de Oliveira e as filhas vieram de várias lugares do mundo. Ao g1, Derineudo de Souza explicou que mais de 10 mil colaboradores, entre eles da França e Estados Unidos, se sensibilizaram com a situação da família e ajudaram.

“Tudo isso foi com dinheiro arrecadado. Usamos só parte do valor, o restante do dinheiro vamos comprar outra casa para ele alugar e viver do dinheiro do aluguel. Foram doações do mundo por meio da página Razões para Acreditar”, destacou.

A entrega da residência chamou a atenção de vários moradores e pessoas também que acompanharam a história do pai de família. O ativista social diz que os curiosos formaram filas para conhecer a casa, falar com Francisco e desejar o melhor.

Entrega da nova casa de Francisco de Oliveira ocorreu nesse sábado (11) em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

Entrega da nova casa de Francisco de Oliveira ocorreu nesse sábado (11) em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

“A casa é muito bonita, toda mobiliada, colocamos uma pessoa para trabalhar e ajudar ele com a família. Compramos roupas para as crianças, a casa fica perto da escola. Pensamos em tudo porque, já que trouxemos ele de Plácido de Castro, a intenção era facilitar tudo para ele”, complementou.

Derineudo de Souza segue acompanhando e ajudando a família para prestar contas do dinheiro arrecadado. Agora, o ativista social tenta conseguir benefícios assistenciais para três das quatro filhas de Francisco.

“Estamos dando entrada no processo das filhas para buscar as aposentadorias. Somente uma delas recebe, mas as demais não. Fizemos exames agora, que não tinham, estão tendo acompanhamento. Vai viver da renda do aluguel e da aposentadoria das meninas. Transformou a vida do Francisco”, concluiu.

Por Aline Nascimento, g1 AC

Veja Mais