13 abril 2024

Câmara de vereadores de Bujari cassa mandato de vereador

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Na noite de terça-feira, 19 de setembro, a Câmara de Vereadores de Bujari fez história ao cassar o mandato do vereador Gilvan de Souza, filiado ao PCdoB. A decisão veio após ameaças proferidas por Gilvan durante uma sessão extraordinária em janeiro deste ano, dirigidas à vereadora Eliane Rosita, do Progressistas.

A votação, como era esperado, foi acirrada e contou com o voto decisivo do presidente da Casa, o vereador James Mourão, também do Progressistas. Os vereadores que votaram pela cassação foram Elias Daier (PSDB), Jairo Moraes (MDB) e Maria Aparecida (Progressistas).

Por outro lado, os vereadores Manoel Nogueira (PDT), Mariazinha (PSD) e Maria do Rosário (PROS) se posicionaram contra a cassação do mandato de Gilvan.

Após a cassação de seu mandato, o vereador Gilvan de Souza enfrentou novas polêmicas, sendo acusado de agredir a esposa grávida do presidente James Mourão, Jaqueline Sales. Segundo relatos, Gilvan teria investido contra a esposa de Mourão, resultando em lesões em seu braço.

James Mourão expressou sua indignação diante do ocorrido, classificando Gilvan como covarde e destacando a gravidez de sua esposa. Ele afirmou: “Ele partiu pra cima da minha esposa. Ele é um covarde, ela está com o braço machucado e se ele tivesse vindo pra cima de mim eu resolvia como homem, mas ele agredir a minha esposa que está grávida.”

A polícia teve que intervir na situação, e James e sua esposa foram direto para a Delegacia de Bujari, onde registraram uma queixa contra Gilvan por agressão.

A decisão da Câmara de Vereadores de Bujari reflete a importância da responsabilidade e do respeito no ambiente político e reforça o compromisso das autoridades em garantir a segurança e integridade dos envolvidos.

Veja Mais