18 julho 2024

Enfermeiro tentou conversar com soldado antes de ser morto, afirma testemunha

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

A Polícia Militar de Santa Rosa do Purus agiu rapidamente para prender o soldado do 7º Batalhão de Engenharia de Construção (BEC), acusado de ser o responsável pela morte do enfermeiro José de Moura Júnior, de 32 anos, na madrugada deste domingo (3).

De acordo com informações obtidas pela polícia, antes de sua trágica morte, o enfermeiro tentou estabelecer um diálogo com seu agressor. Uma testemunha ocular do homicídio relatou que a vítima estava conduzindo sua motocicleta em baixa velocidade e tentou dialogar com o soldado, mas infelizmente foi atingida.

O incidente ocorreu nas proximidades do ginásio poliesportivo Ronald de Moura. Quando a polícia chegou ao local, o enfermeiro já havia sido socorrido e levado para a unidade de saúde, deixando apenas um rastro de sangue como evidência.

Após reunir as informações necessárias, os policiais militares se dirigiram ao alojamento onde o acusado estava. Ele não ofereceu resistência e foi levado à sede do 4º Policiamento Especial de Fronteira (PEF), uma vez que a Delegacia não possuía condições adequadas para abrigá-lo devido à falta de agentes disponíveis.

A arma utilizada no crime, uma faca da marca Gerber, foi apreendida pelas autoridades.

O soldado do BEC confessou ser o autor do assassinato, alegando que cometeu o ato porque algumas horas antes o enfermeiro teria lhe agredido com um soco no rosto e tentado atropelá-lo com a motocicleta. As investigações continuam para esclarecer totalmente os detalhes deste trágico incidente e determinar as medidas legais apropriadas.

Veja Mais