21 fevereiro 2024

Ex-vereador de Capixaba vai a julgamento por assassinato de morador

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Nesta quarta-feira, 20 de setembro, o ex-vereador de Capixaba, Mauristelio Tessinari de Sousa, conhecido como Teio Tessinari, enfrentará uma audiência de instrução e julgamento na 1ª Vara do Tribunal do Júri, em Rio Branco. Ele é acusado de assassinar Antônio Deuzimar Santiago da Silva, de 49 anos, em junho do ano passado.

O crime aconteceu em um ramal localizado na Vila Maparro, na Bolívia, país que faz fronteira com o estado do Acre. A vítima, que também era residente de Capixaba, foi morta com quatro tiros. Em seu depoimento à polícia, dois dias após o incidente, o então vereador de Capixaba alegou que agiu em legítima defesa, após uma luta corporal com a vítima.

De acordo com informações da época, Teio Tessinari suspeitava que Antônio Deuzimar estaria envolvido em furtos de gado de suas propriedades. A discussão teria se originado a partir dessa suspeita, quando a vítima confrontou o acusado. O delegado responsável pela investigação, Aldízio Neto, explicou que o vereador já havia registrado um boletim de ocorrência alegando que a vítima havia furtado seu gado.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Acre (MP-AC), a vítima estava a caminho de uma propriedade rural na Bolívia, onde tinha arrendamento de gado e pasto, quando foi surpreendida pelo acusado ao sair de seu veículo para abrir uma porteira.

De acordo com o MP-AC, o ex-vereador também estava envolvido no arrendamento de gado e pasto, mas estava alegadamente desviando a parte devida ao proprietário dos animais. Para evitar o pagamento, Teio Tessinari apontou a vítima como responsável pelos furtos. Isso teria levado ao assassinato da vítima, supostamente com o objetivo de garantir sua impunidade no crime de furto de gado.

Teio Tessinari foi denunciado por homicídio, qualificado pelo uso de meios que dificultaram a defesa da vítima e no intuito de assegurar impunidade em outro crime. A denúncia contra ele foi aceita pela Justiça em dezembro de 2022.

Veja Mais