21 fevereiro 2024

Mãe presa por abandonar filhas com autismo em Sena Madureira, relata desafios após separação

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Com tornozeleira eletrônica, mãe que abandonou gêmeas autistas no AC diz que não tem condições de criar as meninas — Foto: Arquivo pessoal

Ainda em busca de compreender os acontecimentos e usando uma tornozeleira eletrônica, uma mulher de 34 anos, que não terá seu nome revelado devido ao envolvimento de menores, foi presa por abandonar suas filhas gêmeas, de 13 anos, diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), em frente à casa do pai, na cidade de Sena Madureira, no interior do Acre. Ela conversou com a equipe do G1 nesta quinta-feira (21) e compartilhou os desafios enfrentados na tentativa de cuidar das filhas após a separação.

A mulher foi detida em Rio Branco no último dia 24 de agosto pelo Núcleo de Capturas da Polícia Civil, sob a acusação de abandono de incapaz. No entanto, ela nega categoricamente que tenha abandonado as filhas. As meninas foram deixadas em frente à casa do pai, que então acionou o Conselho Tutelar local, levando-as para um abrigo em Rio Branco.

Segundo o relato da mãe, a separação do pai das crianças ocorreu em dezembro do ano anterior, quando ela saiu de casa levando consigo o filho mais velho, de 16 anos, que também foi diagnosticado com um grau severo do transtorno. Ela se mudou para Rio Branco com seu companheiro atual, deixando as duas filhas gêmeas com o pai em Sena Madureira. No entanto, com o tempo, o filho mais velho enfrentou crises, e ela solicitou que o ex-marido cuidasse dele, enquanto ela assumiria a responsabilidade pelas adolescentes. No entanto, o ex-marido teria se recusado a aceitar essa mudança.

A mulher alega que desde a separação, ela e o ex-marido não conseguiram chegar a um acordo. Ele teria inclusive a ameaçado, levando-a a registrar denúncias contra ele e a obter uma medida protetiva. A situação se complica ainda mais pelo fato de que o processo de separação ainda não foi finalizado, e um processo de guarda das crianças está em andamento na Justiça.

Diante da falta de acordo entre as partes, ela conseguiu temporariamente ficar com uma das filhas, enquanto os outros dois filhos permaneceram com o pai. No entanto, segundo o relato da mãe, o ex-marido acabou enviando uma das gêmeas para se juntar a ela em Rio Branco e ficou com o filho mais velho em Sena Madureira.

A mulher relata que procurou assistência de todas as formas possíveis em Sena Madureira, onde não tinha um local adequado para morar com suas filhas e seu companheiro. A situação se agravou a ponto de ela tomar a decisão de deixar as meninas na casa do pai.

No entanto, ela enfatiza que em nenhum momento abandonou suas filhas, mas sim buscou ajuda devido à difícil situação que estavam enfrentando. Ela argumenta que a guarda das crianças ainda não estava oficialmente definida, e ao procurar o Conselho Tutelar em Sena Madureira, foi aconselhada a entregar as meninas ao pai, pois alegou que não tinha mais recursos para cuidar delas, incluindo a medicação necessária para uma das filhas.

Após relatar sua versão dos eventos, a mulher foi presa em Rio Branco e posteriormente conduzida à Delegacia de Flagrantes (Defla), onde passou por uma audiência de custódia e foi liberada com a condição de usar uma tornozeleira eletrônica. Ela afirma que tem permissão para visitar suas filhas, que estão em um abrigo em Rio Branco, mas atualmente não possui condições de tentar recuperar a guarda delas, dada a situação econômica precária.

O pai das crianças, por sua vez, alega que essa não foi a primeira vez que a ex-mulher abandonou as filhas. Ele relata que no momento em que ela tentou deixar as meninas em sua casa, o filho mais velho estava passando por uma crise, exigindo sua atenção constante devido ao autismo em grau severo. Segundo ele, essa situação não foi um incidente isolado, pois a ex-mulher já havia fugido levando o filho mais velho em dezembro, enquanto ele estava no trabalho. O pai registrou um Boletim de Ocorrência e, quatro dias depois, ela retornou à noite para deixar o filho, partindo novamente e deixando as gêmeas chorando do lado de fora.

Ele relata que as gêmeas estão atualmente em um abrigo e que só desejam estar com a mãe, embora ele alegue que a mãe tenha afirmado que só as levará para casa se for por ordem judicial. O pai está comprando a medicação do filho mais velho com a ajuda de outras pessoas e argumenta que a situação é complicada devido às crises de comportamento do adolescente.

A investigação sobre o abandono das crianças em frente à casa do pai foi iniciada após a intervenção do Conselho Tutelar de Sena Madureira, que envolveu o Poder Judiciário e o Ministério Público Estadual. Este último pediu a prisão da mãe à Justiça, e o juiz do caso também se posicionou a favor da captura dela. De acordo com o delegado responsável, Thiago Parente, apesar das negativas da mãe, o abandono é evidente nos registros do processo.

O caso atualmente está em tramitação no sistema judicial, e não houve a abertura de um inquérito pela Polícia Civil, uma vez que o processo foi iniciado pelo Ministério Público.

Veja Mais