13 abril 2024

Motorista de ônibus escolar suspeito de estupro de filha de 13 anos é encontrado morto no Acre após denúncia

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Na quinta-feira (21), um motorista de ônibus escolar da cidade de Mâncio Lima, no interior do Acre, foi descoberto morto no Ramal do Batoque, zona rural da cidade. Este trágico desfecho ocorreu após ele ter sido denunciado por estupro de vulnerável envolvendo sua própria filha de 13 anos, apenas dois dias antes, na terça-feira (20).

A ex-mulher do homem e a filha compareceram à delegacia e formalizaram a denúncia. A adolescente passou por exames médicos, que confirmaram o rompimento do hímen. O crime teria acontecido quando a menina tinha apenas 12 anos, e ela compartilhou recentemente essa dolorosa experiência com seus familiares.

As investigações apontam que o homem cometeu suicídio logo após a denúncia. Ele havia sido convocado para prestar depoimento na delegacia na quarta-feira. O delegado responsável pelo caso, José Obetâneo dos Santos, declarou que a vítima de estupro foi atendida na delegacia, e um exame de conjunção carnal foi realizado imediatamente. O médico que realizou o exame concluiu que o rompimento era antigo, indicando que a violência ocorreu, mas há algum tempo. O delegado lamentou que o homem tenha tirado a própria vida antes que pudessem prosseguir com a investigação.

Segundo o delegado Santos, os familiares da vítima começaram a perceber comportamentos estranhos do suspeito, o que levou a questionamentos sobre o que poderia ter acontecido. A adolescente, após relatar o estupro, ficou em estado de choque e com medo.

Santos informou que as investigações continuarão para determinar se o suspeito cometeu crimes similares contra outras crianças, já que era motorista de ônibus escolar contratado pela prefeitura da cidade.

“Vamos explorar todas as frentes para saber se há outras vítimas. É bem verdade que o homem já morreu, mas vai que ficou algo para trás e também para atender essas supostas vítimas. Já falei com a psicóloga do município para atender a vítima do estupro”, concluiu o delegado.

Veja Mais