14 abril 2024

Pai denuncia suposta agressão a filho autista por policial penal em Sena Madureira

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Uma denúncia chocante abalou a comunidade de Sena Madureira nesta segunda-feira, quando um pai relatou que seu filho de apenas 15 anos, que sofre de autismo severo, teria, em tese, sido agredido por um policial penal local. Segundo o relato do pai, o suposto agressor, que também é seu vizinho, teria atacado o adolescente com uma pá após uma tentativa de travessia para o terreno do policial.

O incidente ocorreu quando o adolescente, que enfrenta desafios significativos de comunicação e interação social devido ao autismo severo,  jogou um chapéu em direção ao terreno do policial penal que estava cavando um baldrame para construir um muro. O jovem, sem entender as implicações, tentou atravessar para recuperar o chapéu quando, de acordo com o relato do pai, foi brutalmente agredido com uma pá pelo vizinho.

O pai da vítima, visivelmente abalado, relatou: “Eu disse a ele que meu filho tinha autismo severo e não entendia o que estava fazendo. Mas ele insistia em dizer para o menino não atravessar para seu lado do quintal. Meu filho insistiu e acabou tentando atravessar, quando foi agredido com uma pá.”

O adolescente foi levado a uma unidade de saúde local para receber tratamento médico e, felizmente, está fora de perigo. No entanto, o incidente deixou marcas emocionais profundas tanto nele quanto em sua família.

O Pai do menino foi ouvido pelo delegado de plantão, que está conduzindo a investigação para determinar as circunstâncias precisas do incidente e tomar medidas apropriadas.

O autismo é um transtorno que exige compreensão e empatia, e a agressão a uma pessoa com autismo severo é profundamente lamentável. A comunidade de Sena Madureira espera que a justiça seja feita e que medidas sejam tomadas para garantir a segurança e o bem-estar de todos os cidadãos, independentemente de suas necessidades especiais. O caso permanece sob investigação e novos desenvolvimentos serão acompanhados de perto pela população local e pelas autoridades competentes.

Veja Mais