13 abril 2024

Para Petecão, missão comercial ao Peru foi positiva e o Acre será a conexão entre o Brasil e outros países

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

O senador Sergio Petecão (PSD-AC) participou, nesta semana, de uma missão comercial brasileira ao Peru. Na ocasião, teve várias reuniões com autoridades e empresários daquele país. O objetivo da delegação foi para estreitar as relações bilaterais entre os países e melhorar o ambiente de negócios.

Um dos primeiros compromissos da agenda foi uma reunião na chancelaria do Brasil em Lima, capital do Peru, com a presença do embaixador Clemente de Lima Baena Soares. Essa reunião contou com a participação de empresários acreanos, e de outros estados brasileiros, e empresários peruanos para discutir as relações e a possibilidade de melhorar ainda mais o ambiente de negócios entre os dois países.

“Nós, acreanos, precisamos fortalecer essa pareceria com nossos irmãos peruanos. Temos, inclusive, de comprar mais produtos deles e aumentar nossa carteira de mercadorias para um mercado de mais de 33 milhões de pessoas, com grande potencial econômico. Não podemos fechar os olhos para essa oportunidade,” argumentou.

Petecão também esteve presente na abertura oficial da Feira Internacional Expoalimentária 2023, que aconteceu de 27 a 29 de setembro, em Lima. Ao destacar a importância dessa feira, disse ser ela considerada a principal em termos de negócios de alimentos e bebidas da América Latina.

“Este ano, a participação de empresas brasileiras no evento foi uma excelente oportunidade para os produtores brasileiros, em especial para os de nosso estado, para a realização de negócios. Tive a grata surpresa de encontrar no stand do Brasil o Beto Moreto, proprietário do Café Contri, produzido em Rio Branco, entusiasmado com as novas perspectivas de mercado”.

Destacou, ainda, a presença do empresário Paulo Santoio, da Dom Porquito, umas das mais importantes agroindústrias de suínos do estado. A empresa exporta para vários países e contribui para a geração de muitos empregos na região.

Para o senador, todas as agendas de trabalho realizadas na semana foram muito importantes para o fortalecimento dos vínculos comerciais entre o Brasil e o Peru. Ao concluir, destacou a visita técnica ao porto de Chancay, na costa do Pacífico, onde empresários chineses e peruanos investirão mais de R$ 20 bilhões na construção do maior porto da América Latina.

“Este é um tipo de obra em que só acredita quem vier ver pessoalmente. Há mais de 30 anos iniciei uma luta para contruirmos a estrada do Pacífico, que hoje é uma realidade. Naquela época, todos acreditávamos que essa estrada seria a solução para todos os nossos problemas. Agora, estando aqui e diante dessa megaobra de engenharia, renasce minha esperança, porque esse porto nos proporcionará mais possibilidades de desenvolvimento. As perspectivas são as melhores possíveis”, concluiu.

De acordo com o senador, para que essa parceria dê certo e seja próspera, é preciso que o governo brasileiro e as autoridades alfandegárias implementem os acordos bilaterais entre os países para melhorar o equilíbrio aduaneiro.

“Precisamos fazer nossa parte. Entristece-me ouvir das autoridades e empresários peruanos que a nossa alfândega não funciona por falta de funcionários suficientes para a manter em atividade por 24 horas, assim como eles. De minha parte, irei insistir, junto ao ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, para que ele venha à nossa fronteira e conheça in loco a realidade de uma alfândega que trabalha com apenas 10% de sua capacidade. Isto precisa mudar e irei trabalhar para que de fato aconteça,” declarou.

Veja Mais