20 julho 2024

Passa de mil o número de mortos após terremoto no Marrocos

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Um terremoto de magnitude 6,8 (considerada forte e capaz de produzir grandes estragos) atingiu o Marrocos na noite desta sexta-feira (8), por volta das 19h30 (no horário de Brasília). Até a última atualização desta reportagem, eram 1.037 mortos e mais de 1.200 feridos, de acordo com o balanço divulgado pelo Ministério do Interior marroquino.

O órgão afirma que o número de vítimas deve aumentar ao longo deste sábado (9), já que os trabalhos de resgate — dificultados por bloqueios e obstruções nas estradas — ainda estão em curso.

Segundo o Itamaraty, não há notícia de brasileiros entre os mortos e feridos.

O tremor danificou desde aldeias nas montanhas da Cordilheira do Atlas (no noroeste da África) até a cidade histórica de Marrakech, no oeste do Marrocos. As forças armadas do país e equipes de resgate foram deslocadas para as áreas mais afetadas.

O terremoto durou cerca de 15 segundos e aconteceu a uma profundidade de 18,5 km, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês). Há relatos de pessoas que também sentiram os tremores em países próximos, como Portugal, Espanha e Argélia.

Quais as regiões mais atingidas?
O epicentro do sismo, ou seja, a projeção, na superfície, de onde começou o tremor, foi no alto das montanhas do Atlas, 70 km ao sul de Marrakech. É nessa região que deve haver o maior número de mortos.

Outros locais afetados de forma significativa foram:

o entorno de Toubkal, o pico mais alto do norte da África;
e Oukaimeden, uma popular estação de esqui marroquina.
Entre as províncias mais atingidas, estão Al Haouz, Ouarzazate, Marrakech, Azilal, Chichaoua e Taroudant.

Nessas cidades, adultos e crianças permaneceram nas ruas, temendo novos terremotos. E, de fato, houve um segundo tremor, mais fraco, 15 minutos depois, informaram as agências internacionais de notícias.

FOTOS: Forte terremoto deixa mortos no Marrocos

Antiga mesquita na histórica cidade de Marrakech foi bastante danificada por terremoto — Foto: REUTERSEscombros em Marrakesh, após forte terremoto no Marrocos — Foto: Al Oula TV / via Reuters

12 fotos

O tremor, de cerca de 15 segundos, danificou desde aldeias nas montanhas do Atlas até a cidade histórica de Marrakesh — Foto: Al Maghribi Al Youm / via Reuters

De acordo com o Serviço Geológico dos EUA, tremor atingiu magnitude 6,8, e foi sentido em Portugal, Espanha e Argélia.

Na rede social X (o antigo Twitter), há relatos de pessoas que correram pelas ruas, enquanto prédios balançavam. De acordo com agências de notícias, vários prédios colapsaram (veja vídeo acima que mostra momento do tremor).

O chefe da cidade de Talat N’Yaaqoub, Abderrahim Ait Daoud, disse ao site de notícias marroquino 2M que várias casas em cidades da região de Al Haouz desabaram parcial ou totalmente, que a eletricidade foi cortada e há estradas bloqueadas em alguns trechos.

Ait Daoud disse ainda que as autoridades estão limpando estradas na província para permitir a passagem de ambulâncias.

Imagens compartilhadas em redes sociais mostraram pessoas correndo e gritando perto da Mesquita Koutoubia, do século XII, em Marrakech, um dos marcos mais famosos da cidade. A mídia marroquina informou que a mesquita sofreu danos.

Marrocos frequentemente experimenta terremotos em sua região norte devido à sua localização entre as placas africana e euroasiática. Em 2004, pelo menos 628 pessoas morreram e 926 ficaram feridas quando um terremoto sacudiu Alhucemas, no nordeste do país.

Em 1980, o terremoto em El Asnam, na Argélia, de magnitude de 7,3, foi um dos mais destrutivos na região: matou 2.500 pessoas e deixou 300.000 desabrigados.

O porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, informou em comunicado que “as Nações Unidas estão prontas para ajudar o governo marroquino”.

Por g1

Veja Mais