20 julho 2024

Quatro cidades do Acre registraram qualidade do ar de ‘muito ruim’ a ‘ruim’, aponta relatório

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Quatro cidades do Acre registraram qualidade do ar ruim ou muito ruim no período de seis horas, entre a noite dessa quinta (28) e a madrugada desta sexta (29). Os dados são da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Políticas Indígenas do Acre (Semapi), por meio do Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma) e da Sala de Situação e Monitoramento Ambiental (Sisma).

Nas seis horas, nos municípios de Capixaba, Porto Acre, Senador Guiomard e Xapuri foram identificados alertas de criticidade da qualidade do ar.

Conforme os sensores que monitoram a qualidade do ar no Acre, por meio do sistema Purple Air, a cidade de Capixaba apresentou concentração de 58 microgramas por metro cúbico de material particulado. Já Porto Acre, Senador Guiomard e Xapuri apresentaram 35, 37 e 50µg/m³, respectivamente.

A capital acreana, Rio Branco, registrou nesse mesmo período 26µg/m³, sendo considerada ‘moderada’ a qualidade do ar.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê que a quantidade de material particulado por metro cúbico (µg/m³) aceitável é de 15 microgramas. Porém, a partir de 12 µg/m³ já oferece risco em uma exposição prolongada. Até 2021, o valor aceitável era até 25 microgramas, segundo explicou o professor e pesquisador da Ufac, Foster Brown.

Com esse índice registrado entre a noite de quinta (28) e a madrugada desta sexta (29), segundo a plataforma, alguns membros do público em geral podem sofrer efeitos na saúde com 24 horas de exposição. Já membros de grupos sensíveis podem sofrer efeitos mais graves na saúde.

Queimadas no Acre

Entre o dia 1 e 29 de setembro, o Acre registrou 3.039 focos de queimadas, segundo dados do Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O número é duas vezes maior que o registrado no mesmo período no mês anterior.

Nos 29 dias de agosto, o estado acreano teve 1.211 focos de queimadas. Em todo este ano, o Acre registrou 4.687 focos. O programa utiliza dados de queimadas captados diariamente pelo satélite de referência Aqua para fazer os levantamentos.

Apesar da alta em relação ao mês de agosto, o número de focos de incêndio reduziu em 54,6% na comparação com o mesmo período de 2022. Nos 29 primeiros dias de setembro do ano passado o Acre teve 6.693 focos.

Por g1/AC

Veja Mais