25 fevereiro 2024

Trabalhadores da Red Pontes fecham avenida em Rio Branco em protesto por pagamentos atrasados

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Trabalhadores da empresa Red Pontes, responsáveis por serviços no Pronto-socorro de Rio Branco, tomaram uma medida drástica na noite desta terça-feira (19) ao fecharem a avenida Nações Unidas, um dos principais acessos ao hospital. Vestidos com suas roupas de trabalho, eles formaram um cordão humano, bloqueando o tráfego e exigindo a presença de representantes do governo com garantias de que seus pagamentos atrasados serão efetuados.

A ação de protesto foi uma resposta ao crescente descontentamento dos trabalhadores da Red Pontes devido aos salários atrasados. O bloqueio da avenida Nações Unidas, que é uma das vias de acesso cruciais ao Pronto-socorro de Rio Branco, teve como objetivo chamar a atenção das autoridades e do público para a situação financeira precária que afeta esses profissionais.

Os trabalhadores, vestindo suas roupas de trabalho, se uniram em um cordão humano que interrompeu o fluxo de veículos na avenida. Essa medida, embora impactante, foi tomada como um último recurso pelos funcionários, que estão enfrentando dificuldades financeiras devido aos atrasos nos pagamentos.

Um dos principais pontos de exigência dos manifestantes é a presença de membros do governo para discutir a situação e garantir que os pagamentos em atraso sejam efetuados. Eles esperam que essa ação dramática chame a atenção necessária para suas lutas e leve a uma resolução imediata do problema.

O fechamento da avenida Nações Unidas também tem implicações para o acesso ao Pronto-socorro, o que pode afetar o atendimento médico à comunidade. O bloqueio da via ressalta a urgência do problema e a necessidade de uma solução rápida para garantir que os serviços essenciais de saúde não sejam prejudicados.

Os trabalhadores da Red Pontes esperam que o protesto leve a uma solução rápida para seus problemas financeiros e que possam retomar suas atividades normais o mais breve possível. Enquanto isso, a comunidade e as autoridades estão atentas à situação, conscientes da importância de resolver essa questão para o bem-estar dos profissionais de saúde e dos pacientes atendidos no Pronto-socorro de Rio Branco.

Veja Mais