21 julho 2024

Dengue: A ameaça crescente no sul dos EUA, sul da Europa e partes da África

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Jeremy Farrar, especialista em doenças infecciosas da Organização Mundial da Saúde (OMS), alerta que a dengue se tornará uma grande ameaça no Sul dos Estados Unidos, Sul da Europa e em novas áreas da África devido ao aumento das temperaturas, criando condições favoráveis para a propagação dos mosquitos transmissores da infecção.

A dengue já é um grave problema em grande parte da Ásia e América Latina, causando aproximadamente 20 mil mortes por ano. Desde 2000, as taxas da doença aumentaram oito vezes globalmente, principalmente impulsionadas pelas mudanças climáticas, mobilidade populacional e urbanização.

Em 2022, foram diagnosticados 4,2 milhões de casos em todo o mundo, e as autoridades de saúde pública alertam para níveis quase recordes de transmissão este ano. Bangladesh enfrenta atualmente seu pior surto, com mais de 1 mil mortes.

Farrar destaca a necessidade de uma preparação proativa dos países para lidar com a pressão adicional que a dengue trará no futuro, especialmente em grandes cidades. Ele alerta que é provável que a infecção se torne endêmica em partes dos EUA, Europa e África, exercendo uma pressão significativa sobre os sistemas de saúde.

Preparar novas regiões para lidar com a dengue envolve a alocação adequada de fundos de saúde pública, incluindo o controle eficaz do mosquito transmissor, além de colaboração entre diferentes setores que normalmente não trabalham em conjunto. A vacinação, como a Qdenga da Takeda Pharmaceuticals, é uma recomendação da OMS para combater a propagação da dengue, especialmente entre crianças de 6 a 16 anos em áreas afetadas.

Veja Mais