18 julho 2024

Desaparecimento de adolescente venezuelana em abrigo acreano gera preocupação e investigações

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

A venezuelana Yusneily Mudarain, residente na Casa de Acolhida de Brasiléia, interior do Acre, enfrentou um pesadelo ao descobrir que sua filha, Eduarly, de 15 anos, havia desaparecido do abrigo mantido pela Diocese de Rio Branco em 5 de outubro.

Yusneily e sua família, que chegaram ao Brasil vindo do Equador em setembro, foram levadas ao abrigo enquanto aguardavam a emissão de documentos para prosseguir até Minas Gerais.

A mãe relatou que, no dia do desaparecimento de sua filha, outra família de imigrantes que também estava na residência havia deixado o local, incluindo uma adolescente grávida que mantinha contato frequente com Eduarly.

As autoridades acreanas informaram a Yusneily que deveria aguardar 48 horas para relatar o desaparecimento. Ao procurar a Polícia Civil, a mãe recebeu a informação de que, segundo a legislação brasileira, adolescentes de 15 anos podem escolher com quem desejam viver.

Contrapondo as alegações, Mudarain ressaltou que a família do namorado não estava mais no abrigo na noite do desaparecimento de Eduarly. Enfrentando dificuldades nas investigações locais, a mãe buscou auxílio na Polícia Rodoviária Federal e, posteriormente, na Polícia Federal (PF) em Rio Branco, que já está apurando o desaparecimento da adolescente.

Veja Mais