28 maio 2024

Pescador de Sena Madureira tem segunda chance de uma vida após transplante de fígado

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Foto: Contilnet

Em julho deste ano, Jocivaldo Moraes da Silva, um pescador de 34 anos de idade de Sena Madureira, experimentou uma reviravolta extraordinária em sua vida. Nesse período, ele passou por um transplante de fígado na Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre), um procedimento que foi orquestrado pelo governo estadual.

Jocivaldo foi diagnosticado com hepatite quando tinha apenas 17 anos e, devido ao consumo excessivo de álcool, sua condição de saúde se deteriorou gradualmente, culminando na cirrose hepática.

Em uma entrevista ao site ContilNet, ele compartilhou os momentos angustiantes que enfrentou. “Eu sofri intensamente, experimentando dores insuportáveis. Havia noites em que eu não conseguia dormir, ficava andando de um lado para o outro em casa. Lembro-me de passar três noites seguidas sem conseguir dormir, gritando de dor. Cheguei a implorar a Deus para desmaiar. Mesmo tomando morfina, a dor não desaparecia. O que eu vivi é algo que não desejo nem para o meu pior inimigo”, ele relatou.

“Joci”, como é conhecido em Sena Madureira, chegou ao ponto de recorrer a remédios caseiros, incluindo um ato de desespero em que ele ingeriu seu próprio xixi. “Eu estava desesperado, não sabia mais o que fazer, e alguém sugeriu isso, então acabei tentando”, ele explicou.

Joci ao lado da mãe e da sua esposa Foto: Contilnet

Devido à grave deterioração de seu fígado, ele foi transferido para Rio Branco, onde passou dois meses hospitalizado até entrar na lista de espera por um transplante governamental. Ele teve a sorte de encontrar um doador compatível em um tempo notavelmente curto, que ele considera um verdadeiro milagre. O médico até alertou que se o transplante fosse adiado por mais alguns dias, ele não sobreviveria, dado o estado avançado de dissolução de seu fígado.

Jocivaldo expressou profunda gratidão a Deus, à sua mãe, à sua esposa Vanessa e a todas as pessoas que o apoiaram financeiramente ou com suas orações. Hoje, graças a essa segunda chance, ele não sente mais dor, consegue dormir bem e tem uma vida totalmente nova.

A mãe de Jocivaldo, Maria de Nazaré, conhecida como “Naza”, descreveu o sofrimento que passou ao ver a situação de seu filho, mas enfatizou que nunca perdeu a fé em Deus. Ela agradeceu à equipe médica que realizou o transplante e a todas as pessoas envolvidas, esperando que Deus recompense a todos.

Vanessa Silva de Lima, a esposa de Jocivaldo, acompanhou de perto o sofrimento do marido e descreveu o impacto emocional que isso teve sobre ela. Apesar das noites sem dormir e do medo que sentiu quando Jocivaldo foi levado para a sala de transplante, ela expressou gratidão por tudo ter corrido bem.

Jocivaldo e Vanessa têm duas filhas, e a família compartilhou que o pescador passou pelo transplante durante uma longa noite, entrando na sala de operações às 19 horas e saindo somente às 4h30 da madrugada.

Vale destacar que o Acre é o único estado da região Norte do Brasil que realiza transplantes de fígado.

Veja Mais