18 julho 2024

Ministério da Saúde anuncia inclusão da vacina contra COVID-19 em menores de 5 anos

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

O Ministério da Saúde determinou que, a partir de 2024, a vacina contra a COVID-19 será integrada ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). A recomendação é direcionada aos estados e municípios para priorizarem a imunização de crianças de 6 meses a menores de 5 anos e grupos de maior risco para desenvolver formas graves da doença.

A secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente do ministério, Ethel Maciel, destacou: “É uma mudança importante, alinhada com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em que a vacina contra a COVID-19 passa a ser incorporada ao nosso Programa Nacional de Imunizações. Durante a pandemia, um programa paralelo foi estabelecido para administrar a vacina, fora do nosso programa nacional. Neste ano, trouxemos a vacina contra a COVID-19 para dentro do Programa Nacional de Imunizações, tornando-a recomendada no calendário vacinal para todas as crianças nascidas ou residentes no Brasil, entre 6 meses e menores de 5 anos”.

Além disso, a dose anual será incluída no calendário de vacinação para grupos prioritários, ampliando a recomendação da OMS. A vacinação se concentrará nos grupos prioritários, visando à redução da gravidade, hospitalizações e óbitos.

Ethel ressaltou que as vacinas oferecem proteção contra a COVID-19 e a forma prolongada da doença. O Ministério da Saúde também encomendou um estudo nacional focado na COVID prolongada para obter dados que ajudarão a orientar as políticas públicas.

Segundo informações do Ministério da Saúde, o Brasil segue uma tendência global com oscilação no número de casos da doença. Dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) apontam aumentos em algumas regiões, enquanto outras demonstram uma desaceleração no crescimento de notificações de casos de COVID-19.

Essa inclusão da vacina contra a COVID-19 no calendário nacional de imunizações é um passo significativo para ampliar a proteção e a prevenção da disseminação do vírus, concentrando-se em grupos de risco e prioridades estabelecidas pelo Ministério da Saúde.

Veja Mais