13 abril 2024

Após declarações de Lula, policiais repudiam insinuações de facilitação em fuga de acreanos de presídio

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

A Federação Nacional dos Policiais Penais Federais (Fenappf) emitiu uma nota de repúdio em relação às declarações feitas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante uma entrevista coletiva na Etiópia, sugerindo conivência de agentes de segurança no episódio de fuga dos acreanos da Penitenciária Federal de Mossoró, ocorrida na madrugada da última quarta-feira (14).

Em resposta, a Fenappf classificou as declarações como “totalmente irresponsáveis”, enfatizando que as investigações ainda estão em curso e que é prematuro chegar a conclusões precipitadas sobre o caso. A federação afirmou que, caso as investigações apontem má conduta por parte de algum servidor, medidas serão tomadas sem qualquer corporativismo.

Segundo a entidade, os fugitivos não receberam apoio externo na sua fuga e a investigação sugere que eles tenham aproveitado uma oportunidade para escapar. A Fenappf também destacou o compromisso dos policiais penais federais com a segurança das penitenciárias federais, ressaltando que, apesar do incidente em Mossoró, as unidades prisionais continuam seguras e desempenhando seu papel devidamente.

Além disso, a nota menciona as precariedades estruturais enfrentadas pelos agentes de segurança e enfatiza que a fuga em Mossoró não deve ser motivo para uma caça às bruxas, mas sim tratada com justiça.

A entidade reiterou o compromisso em cortar a própria carne caso algum policial penal federal seja encontrado envolvido em irregularidades, destacando o histórico de sucesso e eficiência dos profissionais, que muitas vezes atuam anonimamente, garantindo estatísticas positivas de segurança nas unidades prisionais.

Em suma, a nota da Fenappf expressa a indignação da categoria em relação às insinuações feitas e reafirma o compromisso dos policiais penais federais com a segurança e o cumprimento das leis.

Via Contilnet.

Veja Mais