18 julho 2024

Projeto TEA irá emitir carteira de identidade para Pessoas com Transtorno do Espectro Autista no AC

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

 

Publicidade

Pessoas com autismo terão acesso gratuito a emissão de carteiras de identidade. A ação, que deve ocorrer nos dias 19 e 20 de fevereiro, é organizada pelo Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde, Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência do Ministério Público do Acre (MPAC) e Instituto de Identificação da Polícia Civil.

Até 50 pessoas por dia devem ser atendidas no Espaço Cultural Autista, um ambiente para pessoas com Transtorno do Espectro Autista que será montado no shopping.

De acordo com a organização, o local deve ser adaptado para atender às necessidades específicas do público autista, levando em consideração questões como sensibilidade à luz, ao toque e ambientes sonoros.

A procuradora de Justiça Gilcely Evangelista, coordenadora do Centro de Apoio, destaca que a ação deve nortear ainda futuras ações voltadas à pessoas com autismo.

“O formulário do projeto ‘TEA – Eles não estão sós’ vai nos dar o quantitativo de pessoas com TEA no estado. Por isso estamos buscando que todos os pais de crianças autistas e também os adultos preencham o formulário, que auxiliará no processo de implementação de políticas públicas”, ressalta.

De acordo com o diretor do Instituto de Identificação da Polícia Civil, Junior César da Silva, essa será a primeira ação específica voltada para o público TEA realizada pelo Instituto.

“A Polícia Civil, através do Instituto de Identificação, sempre está apoiando esses movimentos de inclusão e cidadania. Esse projeto voltado para o público com TEA é de significativa importância, pois vamos conseguir estender os braços da cidadania até essas pessoas que precisam desse atendimento especial”, aponta.

O evento disponibilizará ainda a emissão da Carteira Estadual da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (e-CEPTEA), em parceria com a Sesacre. A carteirinha, em formato digital e com validade estadual, visa proporcionar uma identificação eficaz dos indivíduos com TEA, enquanto também assegura a eles uma série de benefícios e direitos.

Além disso, o MPAC também estará presente com o MP na Comunidade e os serviços do Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC), Centro de Atendimento à Vítima (CAV) e Ouvidoria-Geral.

Via G1 AC

 

Veja Mais