18 junho 2024

Ásia lidera em desastres climáticos em 2023, ONU alerta sobre urgência das ações

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

A Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou nesta terça-feira que a região da Ásia foi a mais impactada por desastres climáticos no ano passado, com inundações e tempestades causando significativas perdas humanas e econômicas. A diretora da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Celeste Saulo, enfatizou que as alterações climáticas têm agravado a frequência e a gravidade desses eventos, afetando profundamente a sociedade, as economias e o meio ambiente.

O relatório destaca que o ano de 2023 foi o mais quente já registrado globalmente, com a Ásia aquecendo mais rapidamente que a média global, evidenciado pelo aumento de quase 2°C em relação à média entre os anos 1961 e 1990. Isso tem contribuído para o aumento das ondas de calor na região, além do degelo das geleiras na Cordilheira do Himalaia, ameaçando a segurança hídrica.

A ONU ressalta que muitos países asiáticos enfrentaram uma variedade de condições extremas, desde secas e ondas de calor até inundações e tempestades, resultando em mais de duas mil mortes e afetando diretamente nove milhões de pessoas. As inundações, especialmente, foram a principal causa de morte entre os eventos relatados em 2023.

O relatório também destaca a perda contínua de massa das geleiras na região montanhosa da Ásia, enfatizando o grave impacto das mudanças climáticas nos ecossistemas e nas sociedades locais. A elevação das temperaturas da superfície do mar no noroeste do Oceano Pacífico também foi mencionada como um indicador alarmante das mudanças climáticas.

Celeste Saulo ressaltou a urgência de ações para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e adaptar-se às alterações climáticas. Ela enfatizou a importância de estratégias que reflitam essa urgência e a necessidade fundamental de ações concretas para enfrentar os desafios climáticos globais.

Via Agência Brasil.

Veja Mais