16 junho 2024

Juiz retira sigilo do processo sobre o caso da cantora Nayara Vilela, encontrada morta em Rio Branco

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

O juiz Alesson Braz, da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar da Comarca de Rio Branco, decidiu retirar o sigilo do processo relacionado ao trágico caso da cantora Nayara Vilela, encontrada morta em sua residência em 24 de abril do ano passado, na capital acreana. Até então, o caso estava sob segredo de Justiça.

O marido da artista, o empresário Tarcísio Araújo, foi denunciado pelo Ministério Público do Acre (MP-AC) pelo crime de feminicídio. De acordo com o processo, a defesa de Araújo solicitou assistência judiciária gratuita e o trancamento da ação penal, pedidos que foram negados pelo magistrado.

O MP-AC se opôs à concessão da assistência judiciária gratuita e solicitou o levantamento do sigilo do processo. O objetivo era permitir que a sociedade acompanhasse o caso que recebeu ampla atenção da opinião pública em 2023, inclusive em âmbito nacional.

Na decisão que retirou o sigilo, o juiz permitiu a oitiva das testemunhas indicadas pelo Ministério Público e pela defesa, e determinou a marcação de uma audiência de instrução e julgamento para ouvir as testemunhas e interrogar o réu.

O empresário é acusado de ter concorrido para a morte de Nayara Vilela de Jesus. Segundo a denúncia aceita pela Justiça, no dia 24 de abril de 2023, no interior de sua residência, o denunciado teria contribuído para a morte da vítima, que, empunhando uma arma de fogo, tirou sua própria vida.

O caso teve grande repercussão na imprensa, especialmente após a divulgação de vídeos que mostravam momentos de discussão entre a cantora e seu marido minutos antes da tragédia. A Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) conduziu as investigações ao longo de meses, resultando no indiciamento do esposo de Nayara por feminicídio.

Veja Mais