24 julho 2024

Estudo alerta para crise hídrica histórica no Pantanal em 2024

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Um estudo inédito encomendado pelo WWF-Brasil e realizado pela ArcPlan revelou que o Pantanal está enfrentando sua pior crise hídrica das últimas décadas, com previsões sombrias para o restante de 2024. O bioma, que desde 2019 passa pelo período mais seco em quatro décadas, viu uma redução significativa na área coberta por água nos primeiros meses deste ano, comparado até mesmo ao período de seca de 2023.

Segundo o estudo, o pulso de cheias esperado não ocorreu em 2024, com o nível do Rio Paraguai mantendo-se drasticamente baixo, cerca de 68% abaixo da média histórica para o período entre janeiro e maio. A falta de inundação afeta gravemente a ecologia do Pantanal, colocando em risco sua biodiversidade e o modo de vida das comunidades locais.

A seca prolongada e as secas extremas estão aumentando a vulnerabilidade do Pantanal, exacerbando ameaças à fauna, flora e recursos naturais. Além dos eventos climáticos, a degradação do bioma por ações humanas, como construção de barragens, desmatamento e queimadas, agrava ainda mais a situação.

O estudo destaca a necessidade urgente de políticas públicas eficazes para frear o desmatamento, restaurar áreas de Proteção Permanente (APPs) e apoiar práticas sustentáveis na região. É fundamental também mapear e proteger as comunidades vulneráveis à seca e à degradação da qualidade da água.

Helga Correa, especialista em conservação do WWF-Brasil, enfatiza a importância de conservar o Pantanal, uma das áreas úmidas mais biodiversas e essenciais do mundo, cuja preservação é crucial para a manutenção da biodiversidade e para assegurar o acesso à água das comunidades locais.

Este estudo serve como um alerta crítico para a necessidade imediata de ações coordenadas e efetivas para proteger o Pantanal e suas riquezas naturais.

(Informações com base na Agência Brasil).

Veja Mais