17 julho 2024

Ministra Simone Tebet reafirma importância do corredor interoceânico pelo Acre como ‘Rota Celeiro do Brasil’

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Audiência Pública para ouvir a ministra Simone Tebet foi realizada na manhã desta terça-feira, 2, no Senado Federal, em Brasília. Foto: Agência Senado

Durante uma audiência pública conjunta das comissões de infraestrutura e desenvolvimento regional do Senado Federal, realizada na terça-feira (2) em Brasília, a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, reafirmou a importância da rota do Quadrante Rondon, conhecida como “Rota Celeiro do Brasil”, como um acesso estratégico ao Oceano Pacífico pelo Acre.

Publicidade

Simone Tebet mencionou que a inauguração do Porto de Chancay em novembro representa uma oportunidade significativa para os empresários brasileiros escoarem a produção do Norte do país. Ela destacou que apenas Mato Grosso e Mato Grosso do Sul são responsáveis por 30% das exportações de commodities agrícolas, enfatizando a relevância da rota para o setor alimentício.

A ministra ressaltou que o corredor é fundamental para o Acre e Rondônia, facilitando a ligação com os portos de Lima (Peru) e, especialmente, os portos chilenos. Ela também defendeu a importância da rota para a Bolívia, que não possui acesso direto ao Atlântico.

“Essa integração é fundamental para a América do Sul, considerando que a Bolívia possui recursos como fertilizantes, essenciais para a produção brasileira. Nós, por outro lado, temos alimentos para exportar, o que torna essa rota estratégica para ambos os países”, afirmou Simone Tebet durante sua participação.

A ministra expressou otimismo em relação às obras do anel viário via Brasileia, prevendo sua inauguração em breve, assim que o Porto de Chancay estiver operacional em novembro.

Veja Mais