17 julho 2024

Ozempic e Wegovy podem reduzir risco de câncer, revela estudo

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

Medicamentos análogos ao GLP-1, como Ozempic e Wegovy, podem ajudar a reduzir o risco de certos tipos de câncer, sugere um novo estudo. A pesquisa revelou que pessoas tratadas com esses medicamentos tinham menor probabilidade de serem diagnosticadas com 10 dos 13 tipos de câncer associados à obesidade.

Pessoas com sobrepeso ou obesidade têm um risco maior de desenvolver 13 tipos de câncer, risco que aumenta com o tempo e ganho de peso. Cerca de 40% dos novos diagnósticos de câncer estão associados ao excesso de peso, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC). Em 2021, houve aproximadamente 170 novos diagnósticos para cada 100.000 pessoas, conforme dados do CDC.

Publicado na sexta-feira (5) no jornal JAMA Network Open, o estudo revelou que pessoas com diabetes tipo 2 tratadas com medicamentos GLP-1 tinham significativamente menos probabilidade de serem diagnosticadas com 10 dos 13 tipos de câncer associados à obesidade, em comparação com aquelas que tomavam insulina.

O estudo mostrou uma redução de mais da metade no risco de câncer de vesícula biliar, meningioma, câncer de pâncreas e carcinoma hepatocelular. Também houve uma redução significativa no risco de câncer de ovário, colorretal, mieloma múltiplo, esofágico, endometrial e renal.

O excesso de peso pode causar mudanças no corpo, como inflamação duradoura e níveis elevados de insulina, fator de crescimento semelhante à insulina e hormônios sexuais que podem levar ao câncer. Os medicamentos GLP-1 interagem com sistemas relacionados à produção de insulina.

As novas descobertas sobre GLP-1 se comparam favoravelmente com os efeitos de intervenções intensivas no estilo de vida e cirurgia metabólica-bariátrica observados em outros ensaios, segundo os autores do estudo.

No entanto, a pesquisa não encontrou associação entre o tratamento com GLP-1 e a redução do risco de câncer de mama pós-menopausa, o tipo mais comum de câncer relacionado à obesidade. Além disso, não houve redução do risco para câncer de estômago ou tireoide. De fato, pesquisas anteriores sugerem que os GLP-1 podem afetar negativamente a tireoide.

O estudo também mostrou que o risco de diagnóstico de câncer para pessoas com diabetes tipo 2 não era diferente entre aquelas tratadas com GLP-1 e aquelas tratadas com metformina. Na verdade, o risco de diagnóstico de câncer renal foi maior entre os usuários de GLP-1 do que entre os usuários de metformina.

Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Case Western Reserve e do Sistema MetroHealth analisaram mais de uma década de registros médicos de quase 1,7 milhão de pessoas com diabetes tipo 2.

Mais estudos são necessários para entender como a redução do risco de câncer está relacionada à perda de peso, mas os resultados fornecem “evidências preliminares do potencial benefício dos GLP-1RAs para a prevenção do câncer em populações de alto risco e apoiam novos estudos pré-clínicos e clínicos”, concluíram os autores.

Veja Mais