24 julho 2024

Rede 5G no Brasil completa 2 anos com presença em quase 600 municípios e metas antecipadas para 2025

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Publicidade

A rede 5G completa dois anos de operação no Brasil neste sábado (6), alcançando uma disponibilidade superior às metas estabelecidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Atualmente, a tecnologia está acessível a 27,9 milhões de usuários em 589 municípios.

Segundo a Conexis Brasil Digital, entidade que representa as empresas de telecomunicações e conectividade, as prestadoras não apenas cumpriram a meta estabelecida para 2024, como também anteciparam mais de 70% das metas previstas para 2025. Todas as cidades com mais de 500 mil habitantes agora contam com pelo menos uma operadora oferecendo o 5G.

Desde o início dos investimentos em 2021, as operadoras desembolsaram R$ 116 bilhões para implementar a tecnologia, que opera em frequências mais altas, exigindo antenas de pequeno porte. Isso resulta na necessidade de cinco a dez vezes mais antenas em comparação com o 4G.

Há um ano, o 5G estava disponível para pouco mais de 10 milhões de usuários em 150 cidades. Desde então, mais de 1 milhão de novas linhas são habilitadas para a tecnologia a cada mês, de acordo com dados da Conexis.

O edital da Anatel para o leilão do 5G estabelece que até julho de 2025 a tecnologia deve estar presente em todas as cidades com mais de 500 mil habitantes, e até julho de 2026, nas localidades com mais de 200 mil habitantes. A meta é que até julho de 2030, o 5G esteja disponível em todas as cidades brasileiras e em 75% das áreas rurais do país.

Apesar da rápida expansão, a Conexis Digital Brasil destaca desafios, como legislações municipais desatualizadas que dificultam a instalação de mais antenas. Apenas 501 municípios brasileiros têm leis de antenas alinhadas à Lei Geral de Antenas, o que representa menos de 10% do total de municípios.

As operadoras pedem regras mais claras e processos de licenciamento mais ágeis para manter o ritmo de expansão da rede 5G. A tecnologia, por sua capacidade de utilizar antenas pequenas que podem ser instaladas em fachadas de prédios, postes e semáforos, sem alterar a paisagem urbana, apresenta vantagens em relação às redes anteriores.

Veja Mais