17 julho 2024

Sena Madureira: Com rio abaixo de 1 metro, barco com equipe do programa Luz para Todos encalha no Rio Iaco

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Barco encalhou no meio do Rio Iaco, na zona rural de Sena Madureira — Foto: Reprodução

A falta de chuva e o baixo nível dos rios no Acre têm dificultado as viagens de barco dos servidores terceirizados da Energisa, companhia de energia elétrica, até o interior do estado. Imagens gravadas por uma equipe que está na zona rural instalando luz elétrica em comunidades ribeirinhas e indígenas mostram os trabalhadores com o barco encalhado no meio do Rio Iaco, em Sena Madureira. O manancial registrou 0,83 metro no município. Na mesma época, no ano passado, o rio estava com 1,39 metro, conforme dados da Defesa Civil Municipal.

Publicidade

O eletricista Cosmo Nascimento de Araújo estava na embarcação que encalhou e relatou que ele e seus colegas tiveram que entrar na água, que estava abaixo dos joelhos, e empurrar o barco. A equipe saiu de Rio Branco no dia 25 de junho e chegou à comunidade no dia 27.

“Estávamos no meio do rio, com a água abaixo do joelho. O ponto mais fundo ‘dava no joelho’. Esse período é muito perigoso por causa das arraias. Nosso contato com elas aumenta nesta época. A gente fica em um alojamento, alugado pela empresa, e diariamente sobe e desce o rio atendendo os clientes”, explicou o eletricista sobre o vídeo.

Ainda segundo Araújo, a viagem para as comunidades rurais durante a seca é sempre cheia de desafios, incluindo barco encalhado, animais e balseiros. “Quando o rio está cheio, a viagem é mais rápida. A gente vem por Assis Brasil, pelo Ramal do Icuriã. Quando vem por Sena [Madureira], é mais demorado”, contou.

Programa Luz para Todos

A Energisa destacou que os colaboradores mostrados nos vídeos são de uma empresa terceirizada que presta serviços para a companhia. A Energisa é responsável pela execução do Programa Luz para Todos no Acre, que atende famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único (CaÚnico) e residentes em assentamentos rurais, comunidades indígenas, territórios quilombolas e reservas extrativistas sem acesso à energia elétrica. Desde 2018, quando assumiu a concessão de distribuição de energia no Acre, a empresa já realizou 11 mil ligações pelo programa.

Escolas, postos de saúde e poços de água comunitários também podem ser beneficiados pelo projeto. O gerente do Departamento de Manutenção e Construção da Energisa Acre, Loureman Azevedo, afirmou que, desde 2022, o projeto tem levado energia elétrica para comunidades remotas. Em 2022, foram atendidas 1,3 mil famílias; em 2023, mais de 1.305 famílias; e a expectativa para 2024 é alcançar 4.695 atendimentos. “Há pessoas de 70 a 80 anos que nunca tiveram contato com energia elétrica. Já mapeamos 17 mil famílias no Acre sem acesso à energia, número que pode chegar a 20 mil”, destacou Azevedo.

Para melhorar a qualidade de vida dessas famílias, atualmente há 400 colaboradores nas comunidades fazendo as instalações. “A seca é um desafio para o estado inteiro. Nesse período, motores estragam e precisamos de reservas. É um grande desafio tanto na seca quanto na cheia”, concluiu Azevedo.

Veja Mais