Golpe da mão fantasma: pelo celular, vítima ver dinheiro sendo roubado; entenda

0
64

A Polícia Federal acendeu um alerta para uma nova modalidade de golpe que está ocorrendo exclusivamente com celulares. Chamada de “golpe da mão fantasma”, a fraude consiste em oferecer uma falsa atualização para o telefone da vítima.

Com isso, os criminosos conseguem acesso ao gerenciamento do aparelho em tempo real, podendo realizar transferências pelos aplicativos de banco sem maiores dificuldades.

De acordo com o chefe de comunicação da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro, a estimativa é que o golpe já tenha feito mais de 40 mil vítimas no Brasil.

Os golpistas utilizam recursos como gravações de centrais telefônicas para conversar com as vítimas por ligação e argumentam para elas que houve uma movimentação estranha na conta, uma tentativa de invasão ou mesmo uma compra suspeita.

“O programa dá acesso ao bandido para usar o aparelho da vítima em tempo real e o dono começa a perceber que o celular não segue mais seus comandos – e os criminosos conseguem pagar contas e boletos, transferir valores, solicitar empréstimos e efetuar outras transições”, descreve Santoro.

Vítima recebe falso aviso por mensagem e e-mail. O aviso alarmista também pode ser enviado por meio de e-mails ou mensagens de texto, com links para baixar um aplicativo ou atualização que promete garantir uma suposta segurança e a resolução do problema apresentado.

Aplicativo dá acesso remoto a criminosos. Para isso, basta que a vítima clique no link fraudulento, instalando no próprio aparelho um aplicativo de acesso remoto, que dá ao criminoso o controle do celular em tempo real.

Percepção é de que aparelho ‘funciona sozinho’. O telefone deixa de atender os comandos do dono, que observa o próprio celular abrindo e gerenciando telas de aplicativo sem que a tela seja tocada.

Com este gerenciamento remoto, os criminosos conseguem pagar contas e boletos, transferir valores, solicitar empréstimos e realizar outras transações subtraindo o dinheiro da vítima.

Aplicativos de bancos são seguros. A Polícia Federal alerta que bancos nunca entram em contato pedindo instalação de aplicativos e nem mesmo enviam links sem a solicitação do cliente.

Além disso, a corporação ainda afirma que os aplicativos oficiais de bancos são por si só seguros e que não há nenhum registro de violações de segurança registrado em relação a eles, portanto, não há necessidade de “redobrar” a proteção destes programas.

Como se proteger?

Os bancos nunca entram em contato solicitando a instalação de aplicativos ou enviam links para seus clientes sem que eles tenham pedido. Na dúvida, entre você mesmo em contato com seu banco pelo número de telefone que fica atrás do seu cartão ou compareça à sua agência para obter esclarecimentos.
Nunca instale aplicativos desconhecidos ou recebidos por mensagens instantâneas, SMS, WhatsApp, tampouco por e-mails.
Evitar baixar aplicativos bancários fora da loja oficial do sistema operacional do seu celular.
Os aplicativos oficiais dos bancos já são, por si só, bastante seguros. Não há nenhum registro de violações de segurança registrados por isso não se faz necessária a instalação de nenhuma aplicação adicional para aumentar a sua segurança.
O usuário poderá ver no próprio aplicativo, caso uma transação não tenha sido aprovada. Se não constar nada, é um sinal de que isso pode ser um golpe.
Sempre utilize a autenticação de dois fatores para autorização de transações.
Desenvolva o hábito de alterar suas senhas regularmente criando senhas fortes e as armazene em segurança num gerenciador de confiança.
E se já tiver sido vítima do golpe da “Mão Fantasma” ou de qualquer outra fraude financeira, procure uma delegacia, se possível, especializada em crimes digitais, e registre um boletim de ocorrência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui