MDB deve entrar na disputa acirrada por vaga na mesa diretora da Aleac

0
39

As eleições da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Acre ocorrem no dia 1 de fevereiro, mesmo dia em que os 24 deputados estaduais da nova legislatura tomam posse. Para o o próximo quadriênio, a Casa teve uma renovação de 50%.

Apesar de faltar mais de três meses, os parlamentares já estão se movimentando, principalmente os 12 que foram reeleitos. Até o momento, dois deles estão se articulando em duas chapas, uma delas encabeçada por Luiz Gonzaga (PSDB), que atualmente é o primeiro secretário, e a outra por Luiz Tchê (PDT).

Há um movimento por chapa única, que seria a do tucano, mas Tchê, cujo partido fez quatro deputados, compondo assim a maior bancada da Assembleia, já avisou que não abre mão de disputar e, inclusive, em conversa o ContilNet, criticou a antecipação das conversas. “Ainda tem muita coisa pra acontecer daqui pra lá, prestação de contas, diplomação. Essa antecipação é irresponsável e uma falta de respeito com os deputados que estão entrando agora na Casa”.

O deputado eleito Tadeu Hassem disse que seu partido, o Republicanos, já se articula para compor a mesa. “Eu estou chegando agora, conversando, ouvindo e no momento certo a gente vai tomar a decisão, junto com o meu partido. E uma tendência do Republicanos é caminhar para compor a mesa, a gente vai buscar e a constituição permite isso. O partido detém essa proporcionalidade e com certeza vamos buscar esse espaço”, afirmou em recente entrevista ao ContilNet, se referindo ao fato de que a sigla elegeu três deputados e foi a terceira mais votada.

Quem também pode integrar a mesa é o vereador e deputado eleito Emerson Jarude. Representante do MDB, partido que também fez três deputados, ele foi o terceiro mais votado no pleito deste ano.

“Estamos só ouvindo por enquanto, mas vamos deixar mais para frente essa discussão, vamos respeitar a Câmara, pois nosso compromisso é lá até dezembro. Porém, adianto que o MDB tem interesse, sim, em compor uma eventual mesa diretora, até porque é o segundo partido com maior número de deputados e, provavelmente, vamos querer entrar nessa discussão, sim”, afirmou ao ContilNet.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui