Ligue-se a nós

BRASIL

Novo recurso incrível adicionado ao Instagram; veja como utilizar

Publicado

no

O Instagram está entre os aplicativos mais utilizados atualmente. A rede social faz parte do grupo Meta, comandado por Mark Zuckerberg. Junto dele estão o WhatsApp e Facebook, montando assim, um grupo de peso.

Para garantir a melhor experiência dos usuários, a empresa realiza diversas atualizações adicionando novas funcionalidades. Depois de várias mudanças no WhatsApp, chegou a vez do Instagram passar por uma novidade.

Instagram traz novidade

O aplicativo de fotos e vídeos está com um novo recurso em fase de testes. Agora, a opção poderá permitir que usuários adicionem uma música no perfil da mesma maneira que já ocorre no Facebook.

Nesta possibilidade, os usuário poderá deixar o recurso visível no perfil. A música poderá ser encontrada abaixo da bio e dos links na página pessoal da pessoa.

O internauta Alessandro Paluzzi, já conhecido por vazar diversas informações sobre redes sociais, publicou algumas capturas de tela que mostram como irá funcionar a novidade. Assim, ele realizou uma demonstração adicionando a música de Rick Astley “Never Gonna Give You Up” diretamente na sua conta.

Assim, a ferramenta poderá permitir que os usuários consigam personalizar ainda mais o seu perfil na rede social. Assim, além de escrever mais sobre si mesmo, ainda existe a possibilidade de adicionar uma música que tenha algum significado.

Como vai funcionar

A empresa ainda não comentou detalhes da nova possibilidade. Contudo, é provável que ela funcione de maneira simples. Segundo as imagens mostradas por Paluzzi, a opção estará disponível na área de edição do perfil.

Assim, basta selecionar a última opção de botão na parte inferior do aplicativo, ou seja, sua foto de perfil. Feito isso, basta clicar no grande botão que fica entre as informações do perfil e os destaques dos stories. A opção possui o texto “Editar perfil”.

Um novo campo aparecerá com a opção “Selecione sua música”. Ao clicar o usuário poderá escolher a música que deseja para deixar junto às suas outras informações. Há também a opção de adicionar 40 caracteres como legenda.

Depois de salvar as alterações, a pessoa já poderá ver a música escolhida na área abaixo da bio. Mais especificamente na parte reservada para os links.

Redes sociais com músicas

Os usuários que já estão na internet há mais tempo já experimentaram essa opção. Ela estava disponível na antiga rede social My Space durante os anos 2000. Nessa época, as pessoas também conseguiram acrescentar músicas ao perfil da rede social.

Datado desta mesma época, o MSN também possuía um recurso um pouco diferente. Nele não era possível ouvir as canções. Porém, o usuário podia escolher mostrar a música que estava ouvindo.

Por fim, outra rede social que liberava a escuta de músicas era o Tumblr. A plataforma ficou bastante famosa na última década. Nele, vários adolescentes criavam seu próprio blog para escrever e compartilhar imagens e GIFs.

Nesta opção a modalidade era ainda mais rebuscada. Os usuários podiam criar uma playlist que ficaria tocando enquanto outros internautas navegam entre suas postagens. Com a chegada de novas redes como o Instagram, essa opção acabou caindo em desuso.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BRASIL

Marina diz que governo usará recursos do Fundo Amazônia para ajudar povo Yanomami

Publicado

no

Por

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira (30) que o governo federal utilizará recursos do Fundo Amazônia para ajudar o povo Yanomami.

A população indígena sofre com uma grave crise de saúde, com inúmeros registros de desnutrição e malária.

“Os recursos do Fundo Amazônia serão deslocados para ações emergenciais. Essas ações estão sendo tratadas em vários níveis, que envolvem: a questão da saúde; o tratamento ao problema da grave situação de fome, que está assolando as comunidades; a parte de segurança, para que essas pessoas possam ficar em suas comunidades, e isso tem a ver com operações de desintrusão do garimpo criminoso dentro dessas comunidades”, declarou a ministra.

Marina Silva deu a declaração em uma entrevista coletiva em Brasília, após ter se reunido com a ministra da Cooperação da Alemanha, Svenja Schulze.

Fundo Amazônia
Criado em 2008, o Fundo Amazônia é destinado a financiar ações de redução de emissões provenientes da degradação florestal e do desmatamento. É considerada uma inciativa pioneira na área.

Além de apoiar comunidades tradicionais e ONGs que atuam na região amazônica, o fundo fornece recursos para estados e municípios para ações de combate ao desmatamento e a incêndios.

O fundo é abastecido com recursos de doações internacionais. Os governos de Alemanha e Noruega respondem, juntos, por mais de 99% dos depósitos.

Em dez anos (2009 a 2018), o fundo aplicou mais de R$ 1 bilhão em 103 projetos de órgãos públicos e organizações não-governamentais. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) administra os recursos e aprova os projetos.

Em 2019, primeiro ano do governo Jair Bolsonaro, as ações do fundo foram paralisadas. Na ocasião, o governo suspendeu comitês, entre eles o Comitê Orientador do Fundo Amazônia (COFA), que tem como atribuição estabelecer as diretrizes e critérios para aplicação dos recursos do fundo. Isso levou Noruega e Alemanha a suspenderem os repasses.

Em 1º de janeiro, dia em que tomou posse como novo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva assinou uma série de medidas, entre elas um decreto em que determinou a retomada do fundo.

Após a edição do decreto, entidades ambientais disseram ter boa expectativa com a retomada do fundo, afirmando ser possível garantir a preservação ambiental da região e a buscar o desenvolvimento sustentável.

Também após o decreto, a Noruega informou que o Brasil já poderia gastar cerca de R$ 3 bilhões doados pelo país ao Fundo Amazônia. E a Alemanha anunciou a destinação de 35 milhões de euros.

Por G1 e TV Globo

Continuar Lendo

BRASIL

MEC divulga novos prazos de inscrição para o Sisu, Prouni e Fies

Publicado

no

Por

O Ministério da Educação disponibilizou na internet os editais dos primeiros processos seletivos de 2023 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Programa Universidade para Todos (Prouni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).
Para acessar informações sobre os três programas, os estudantes devem utilizar o Portal Acesso Único. Os calendários de inscrições foram antecipados, conforme anúncio feito em dezembro pelo MEC.

O novo prazo de inscrição para o Sisu é de 16 a 24 de fevereiro de 2023. O resultado será divulgado no dia 28 de fevereiro. Antes, o resultado estava previsto para sair em 7 de março. As inscrições para o Prouni serão abertas no dia 28 de fevereiro e vão até o dia 3 de março. E para o Fies, terão início no dia 7 de março e terminarão no dia 10 do mesmo mês.

Segundo o MEC, em todos os processos seletivos a classificação tem por base a nota obtida na edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2022.

“Para o Prouni, serão válidas também as notas obtidas no Enem de 2021. Já no Fies, quem concorreu a uma das edições do Enem a partir de 2010 até a mais recente, poderá se inscrever”, informou o Ministério da Educação.

Veja as datas
Sisu

Inscrições: 16 a 24 de fevereiro

Resultado: 28 de fevereiro

Prouni

Inscrições: 28 de fevereiro a 3 de março

Resultados: 7 de março (1ª chamada); e 21 de março (2ª chamada)

Fies

Inscrições: 7 a 10 de março

Resultado: 14 de março.

POR AGÊNCIA BRASIL

Continuar Lendo

BRASIL

Preços dos combustíveis aumentam pela terceira semana consecutiva

Publicado

no

Por

Os preços dos combustíveis voltaram a subir no arranque desta semana, que marca o final do mês de janeiro, o que representa o terceiro aumento consecutivo.

Desta forma, e segundo as contas do site Mais Gasolina, na madrugada desta segunda-feira, 30 de janeiro, a Galp aumentou os preços da gasolina 95 simples em 3,5 cêntimos por litro, para um preço médio de 1.811 euros, enquanto o gasóleo simples registou um aumento de 1 cêntimo por litro, para um preço 1.751 euros por litro.

Já BP aumentou o preço da gasolina simples 95 em 3,5 cêntimos por litro, para um preço médio de 1.825 euros por litro, enquanto o gasóleo simples registou uma subida de 1 cêntimo para um preço médio de 1.770 euros.

Por seu lado, a Repsol aumentou preço da gasolina 95 simples em 3, cêntimos, tal como a BP e a Galp, para um preço médio de 1.813 euros por litro, enquanto o gasóleo simples subiu 1,5 cêntimos 1,749 euros por litro.

Recorde-se que para encontrar a gasolina 95 simples a preços mais altos é preciso recuar a 20 de novembro de 2022, e no caso do gasóleo a 28 de novembro do ano passado.

Continuar Lendo

Trending