16 junho 2024

PF apura envolvimento de servidor público em crimes de corrupção e lavagem de dinheiro

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Nesta terça-feira (11/6), a Polícia Federal deflagrou em Santana do Livramento, a Operação Departed para apurar envolvimento de um policial rodoviário federal em ações de contrabando. O homem se utilizava de uma empresa da família para receber vantagens indevidas e promover a lavagem de dinheiro e de patrimônio.

Na ocasião, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, além de ordens de indisponibilidade de bens em montante aproximado a R$ 4,6 milhões. Também foi promovido o afastamento do investigado do cargo público. Tais medidas judiciais foram expedidas pela 2ª Vara Federal de Santana do Livramento.

As investigações apontam que o principal suspeito esteja envolvido na gestão ilegal de um posto de gasolina e de uma transportadora, possivelmente utilizada para se associar com diversas pessoas suspeitas de envolvimento em contrabando/descaminho na região. Há suspeitas de que o investigado possa estar vendendo seus serviços de transporte como forma dissimulada de fornecer proteção e contrainteligência para carregamentos ilícitos.

Além disso, as apurações da PF demonstraram que o próprio policial participava de carregamentos clandestinos realizados a partir do Uruguai, fornecendo caminhões e realizando o transporte de mercadoria.

Também se identificou que o agente público fornecia informações sigilosas às pessoas que contratassem sua empresa. Em outras oportunidades, o investigado promovia a liberação de veículos de seus clientes de abordagens e de autuações.

Durante as investigações, identificou-se a associação do suspeito a dois grupos recentemente investigados pela Polícia Federal em Santana do Livramento, a partir das Operações Fruto Proibido e Fauda deflagradas em 2022. Ademais, foram identificados indícios de lavagem de R$ 3,8 milhões por meio das contas da empresa pertencente ao agente público.

A Polícia Federal trabalha com a hipótese de cometimento dos crimes de facilitação ao contrabando, corrupção ativa e passiva, advocacia administrativa, prevaricação, violação de sigilo funcional, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Além disso, diversos ilícitos funcionais foram identificados, os quais serão apurados no âmbito da Corregedoria da Polícia Rodoviária Federal.

Via Polícia Federal do Rio Grande do Sul

Veja Mais